Xangai busca economizar água e energia e deter poluição

Metrópole chinesa inicia esforço para poupar água com a substituição de latrinas públicas

Comentário Akatu: Trocar as antigas válvulas de descarga por novos modelos mais econômicos é uma atitude de consumo consciente. A água é um bem precioso e não-renovável e deve ser usado com bastante parcimônia, especialmente pelos habitantes das cidades mais populosas.

Xangai, a maior metrópole da China (cerca de 20 milhões de habitantes) renovará 80.000 latrinas públicas com o objetivo de economizar água e iniciará programas paralelos contra a poluição e em favor das energias renováveis, segundo a imprensa local. As atuais cisternas, que utilizam entre 13 e 15 litros de água, serão substituídas por outras mais modernas que usam apenas nove litros.

A cidade tem 600.000 latrinas do tipo antigo, e se todas suas cisternas fossem substituídas pelas novas, seriam economizadas 8,76 milhões de toneladas de água ao ano, informou o jornal China Daily. As autoridades seguirão incentivando empresas e indivíduos a usar águas recicladas e de chuva.

Xangai também decidiu redobrar esforços para combater as empresas poluentes e retirar das ruas da cidade os veículos que emitem muitos gases, dando exemplo com os carros oficiais e o sistema público de transporte. Entre 20 e 30 projetos de energia solar e estações de energia eólica deverão ser construídos nos subúrbios.

Se você quiser seguir o Akatu no twitter, clique aqui

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: