Quase 40% da água tratada no Brasil é desperdiçada

Entre as causas do problema estão ligações clandestinas, vazamentos, obras mal executadas ou medições incorretas no consumo de água

Crédito: Creative commons/Andrei Niemimäki

 

Comentário Akatu: Inovações tecnológicas e políticas públicas podem ser ferramentas efetivas para a transição para uma sociedade mais sustentável. Mas é importante lembrar que é preciso também inovar nos padrões de produção e de consumo para que seja possível alcançar o bem-estar desejado pela sociedade com um uso muito menor de recursos naturais como a água. Hoje, já consumimos e descartamos 50% mais recursos naturais renováveis do que o planeta é capaz de regenerar e absorver, inclusive a água. A crise hídrica no Brasil é gravíssima, como mostra a reportagem abaixo. Necessitamos, ao mesmo tempo, de uma produção mais responsável e de um consumo mais consciente.

 

Um relatório do governo federal revela que nada menos do que 37% da água tratada no Brasil é desperdiçada, ou seja, se perde no caminho entre a estação de tratamento e a torneira da sua casa.

Só por efeito de comparação, na Europa, essa taxa é de 15% e no Japão, de apenas 3%.

Mas o que justifica tamanho desperdício? Ligações clandestinas, vazamentos, obras mal executadas ou medições incorretas no consumo de água são as principais causas da perda de faturamento das empresas operadoras e dos estados.

Os dados são do Sistema Nacional de Informações de Saneamento Básico do Ministério das Cidades. No levantamento anterior, de 2012, as perdas nacionais eram de 36,9%.

A região Norte é que a lidera as perdas no país. De cada 100 litros de água tratada, metade (50,8%) se perde entre a distribuidora e a casa dos consumidores. Em seguida, aparecem a região Nordeste com 45% de perdas; o Sudeste (33,4%), o Sul (35,1%) e o Centro-Oeste (33,4%).

 

*Reportagem publicada originalmente no portal EcoD.

 

Leia mais:

Participe da campanha #águapedeágua do Instituto Akatu

Com chuvas abaixo da média, Cantareira pode secar em quatro meses

Crise hídrica: Alarme!

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: