Projeto social usa sobras de madeiras nobres para gerar renda

União de empresas paraenses fornece ocupação para mão-de-obra ociosa, garantindo renda para os artesãos e evitando o desperdício de matéria-prima

Comentário Akatu: parcerias entre empresas ecologicamente corretas têm o potencial de gerar benefícios não apenas ambientais, mas sociais e financeiros. O consumidor consciente reconhece estas iniciativas e as apóia.

Um projeto social que une várias empresas no Estado do Pará está utilizando sobras de madeiras nobres para promover a melhoria da qualidade de vida da comunidade de baixa renda do município de Santo Antônio do Tauá, dando ocupação para a mão-de-obra ociosa e garantindo uma renda para cada um dos artesãos.

Chamado “Amigos da Mata”, o projeto utiliza sobras de madeiras nobres para produzir uma linha de acessórios femininos (pentes e porta-jóias) e artigos de mesa, como jogos americanos, suportes para panela e pratos quentes, bandejas e porta-copos.

O projeto é auto-sustentável. No ano passado, produziu 15 mil peças e arrecadou cerca de R$ 25 mil. O trabalho rende a cada um dos 23 artesãos pouco mais de um salário mínimo por mês. A maioria das peças é exportada para Portugal, Itália, Alemanha e Estados Unidos, mas a associação está estudando parcerias para escoar a produção no mercado interno. Os produtos deverão está à venda pela internet, num futuro próximo, no site EcoTauá .

O “Amigos da Mata” é executado pela Associação dos Artesãos de Santo Antônio do Tauá e pela empresa EcoTauá Artesanatos, em parceria com Tradelink Madeiras, Dendê do Tauá S/A, Dentauá e Givaudan (uma multinacional do ramo de perfumes).

Se você quiser seguir o Akatu no Twitter, clique aqui.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: