Projeto Pesca + Sustentável permite ao consumidor rastrear o peixe do mar ao prato

O programa, criado pela Conservação Internacional (CI-Brasil), conta com a parceria de restaurantes em três Estados: Bahia, Rio de Janeiro e Pará

Crédito: Creative commons/Pixabay – NickJack

 

Peixe grelhado, moqueca, casquinha de siri, sashimi… São delícias que dão água na boca. Mas você já parou para pensar de onde vêm todos esses pescados que a sua família costuma consumir? As pescas foram realizadas de forma adequada, sem prejudicar o meio ambiente e a reprodução das espécies de peixes?

Preocupada com todas essas questões, a organização Conservação Internacional (CI-Brasil) resolveu criar o Pesca + Sustentável – um programa que desenvolve junto a pescadores regras de manejo adequadas que preservam as espécies e os ecossistemas. Em três anos, já foram mais de 60 mil famílias de pescadores tradicionais atingidas pelo programa. E o projeto não parou por aí. Depois de pescados, esses animais marinhos são agora enviados a restaurantes parceiros, que os recebem em lotes etiquetados com um QR Code – código que permite rastrear informações sobre a origem, a comunidade que realizou a pesca, em que época foi feita e as características da espécie – atestando que todo o percurso, da captura à mesa, seguiu de maneira apropriada. Assim, o consumidor, ao provar um fruto do mar, poderá também escanear um QR code com um celular e conhecer exatamente o trajeto do pescado da rede até o seu prato.

O programa conta com a parceria de restaurantes de três Estados: Bahia, Rio de Janeiro e Pará. Você pode ver a lista completa de estabelecimentos no site Pesca + Sustentável.

Agora a ideia da CI-Brasil é expandir o projeto. Em 20 anos, o objetivo será criar regiões de referência para a conservação marinha, propiciar espécies conservadas, pescarias sustentáveis e comunidades que se beneficiem desse desenvolvimento, bem como iniciar um processo de consumo responsável junto ao mercado interno (clique aqui para assistir ao vídeo do projeto – https://youtu.be/wb–CDsNcxk).

Contra a pesca predatória
O programa Pesca + Sustentável é uma boa iniciativa de combate à pesca predatória, ainda muito praticada no Brasil. Estima-se que 500 mil pessoas vivam da pesca. Mas a ação humana tem degradado os ambientes costeiros e marinhos. Poluição e a destruição de manguezais têm afetado os ecossistemas que servem de local de reprodução de espécies marinhas.

E não é apenas a degradação do ambiente que afeta as espécies. São mais de 536 mil toneladas de pescado marinho capturado por ano, em sua maioria, de forma inadequada. Com o aumento da demanda, a pesca predatória tem causado a diminuição no volume de pescados, superando a sua capacidade de reprodução nos mares. Se a pesca continuar seguindo o ritmo atual, as espécies pescadas podem desaparecer até 2048, segundo estudos da organização WWF.

Consumo consciente
Se quisermos continuar a nos alimentar do mar, será importante apoiarmos projetos, como o Pesca + Sustentável. Para isso, é importante que o consumidor fique atento quando de suas compras do dia a dia. Um exemplo é demandar que os seus fornecedores – sejam eles o peixeiro da feira, o grande supermercado ou o dono do restaurante – só ofertem os peixes que não estão em risco de extinção e que não estão em época de defeso. Para saber quais as espécies nessas situações, consulte o Guia de Compras de Frutos do Mar da WWF (em inglês). Outra medida importante é dar preferência a produtos de maricultura e aquicultura, atividades que englobam a produção de uma ampla variedade de organismos aquáticos marinhos, desde vegetais como as algas e os invertebrados como os crustáceos e moluscos, até vertebrados como peixes e répteis, onde os animais são criados em áreas delimitadas e sua produção é, em geral, controlada e sustentável. São ações dos consumidores que, quando levadas ao coletivo, tem um enorme impacto.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: