Pesquisa Akatu 2018: brasileiros preferem o caminho da sustentabilidade ao do consumo

Dentre os dez maiores desejos da população, sete apontam para a sustentabilidade. O desejo pelo carro próprio é o maior obstáculo para a liderança absoluta do caminho sustentável

Arte: Ale Kalko

 

O brasileiro prefere o caminho da sustentabilidade ao do consumo, revelou a Pesquisa Akatu 2018 – Panorama do Consumo Consciente no Brasil: desafios, barreiras e motivações, lançada no dia 25 de julho, em evento no Sesc Consolação, em São Paulo.

Na pesquisa, foi feito um ranking de preferência dos entrevistados. Dentre os dez principais desejos dos brasileiros, os sete primeiros escolhem o caminho rumo à sustentabilidade. Enquanto o primeiro lugar é ocupado pelo desejo de “estilo de vida saudável” o segundo lugar indica o desejo pelo “carro próprio” (consumo). Os três itens seguintes indicam a preferência pelo caminho da sustentabilidade: “água limpa, preservando fontes” “alimentos saudáveis, frescos e nutritivos” “tempo para pessoas que gosto”

Entrevistados de 12 cidades em todas as regiões brasileiras apontaram seus maiores e menores desejos, em 10 situações relacionadas a temas como mobilidade, saúde, energia, afetividade e lazer, por meio de uma metodologia chamada Maxdiff. A “Pesquisa Akatu 2018 – Panorama do Consumo Consciente no Brasil: desafios, barreiras e motivações” está em sua quinta edição e apresenta a evolução do grau de consciência dos brasileiros no comportamento de consumo, além de indicar os principais desafios, motivações e barreiras à prática do consumo consciente.

 

População deseja um estilo de vida mais saudável, mas também quer um carro próprio

O aumento da preocupação com uma alimentação saudável e pela água limpa e com fontes preservadas, apontado na Pesquisa Akatu 2018, provavelmente tem relação com o contexto socioambiental nos últimos anos. O tema “alimentação” foi o quarto mais buscado na internet, segundo o estudo “A Mesa dos Brasileiros”, elaborado pela FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). A preocupação com a água, por sua vez, pode ser reflexo da crise hídrica que se propagou em diferentes áreas do país, justificando o desejo pela “água limpa” em terceira posição no ranking.

Por outro lado, ter o carro próprio surge como o principal obstáculo na liderança absoluta do caminho da sustentabilidade. Entre os diferentes perfis de consumidor (indiferente, iniciante, engajado e consciente) o desejo por este bem está entre os sete maiores desejos, sendo menor conforme cresce a consciência no consumo. Quando separado por regiões do país, o Sudeste é o único que apresenta o carro próprio como o primeiro desejo no ranking.

A queda do valor percebido do transporte público no Brasil pode ser um dos fatores que justifica esse resultado. Com o aumento do preço do transporte e a diminuição da sua qualidade, a baixa relação custo/benefício do transporte público leva a população a relacionar o carro com o deslocamento rápido, seguro e confortável, principalmente nas metrópoles. A pesquisa aponta que o desejo pelo carro próprio é o primeiro entre as classes C, D e E por serem as classes que mais sofrem com o sistema precário de transporte público.

Clique aqui para acessar a apresentação da Pesquisa Akatu.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: