Perdas com transporte coletivo insatisfatório chegam a 2,5% do PIB por ano

Nas nove maiores regiões metropolitanas, 16 milhões de trabalhadores gastam uma hora e 22 minutos por dia em transporte coletivo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Andar de trem nas duas maiores cidades do Brasil é um martírio. Reportagem exibida pelo Fantástico deste domingo (26 de janeiro) acompanhou a dificuldade de quem precisa usar trem todo dia, mostrando o sufoco e o quanto esse serviço ineficiente custa para o trabalhador.

“Quando o indivíduo chega cansado, irritado ao trabalho devido à má qualidade do transporte que ele utilizou esse indivíduo certamente vai produzir menos. Estamos perdendo R$ 90 bilhões por ano – o que dá aproximadamente 2,5% do Produto Interno Bruto brasileiro”, afirmou Hélio Mattar, diretor-presidente do Instituto Akatu . “Uma perda que decorre de uma comparação entre o que poderia ter sido produzido se o trabalhador chegasse descansado, em boas condições ao trabalho, e a produção que efetivamente ocorre quando o trabalhador chega cansado, irritado depois de um deslocamento de má qualidade e por muito tempo”, explica.

O salário médio pago nas nove maiores cidades do país é de pouco mais de R$ 2 mil. E os trabalhadores perdem em média 1 hora e 22 minutos por dia com deslocamentos. Se eles não chegassem tão cansados no trabalho, poderiam produzir mais e ganhar mais. Ao longo de 35 anos quase R$ 117 mil poderiam ser acumulados na poupança.

Clique aqui para ler a matéria original, publicada pelo G1, e assistir o vídeo.

 

 

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: