Partículas de tecidos sintéticos são eliminadas na lavagem e contaminam oceanos

Segundo relatório da IUCN, essas micropartículas contribuem significativamente com lixo plástico no mar

Crédito da foto: Creative Commons/Nacho

 

 

 

 

 

 

 

 

Pequenas partículas de plástico, provenientes de produtos como roupas sintéticas e pneus de carros podem contribuir com uma parcela significativa da poluição dos oceanos, de acordo com relatório da IUCN (Internacional Union for Conservation of Nature).

O relatório é focado nos microplásticos primários – plásticos que chegam ao oceano em formas de pequenas partículas – que são despejados no mar, provenientes de residências e de indústrias. As principais fontes incluem pneus de carros, tecidos sintéticos, revestimentos navais, marcações rodoviárias, produtos de uso pessoal, pellets de plástico e poeira das cidades.

A estimativa da IUCN é de que entre 15% e 31% das 9,5 toneladas de plástico jogadas nos oceanos todos os anos pode ser de microplásticos primários, sendo que quase 2/3 são provenientes da lavagem de roupas com tecidos sintéticos e da abrasão de pneus durante o uso de veículos.

Em alguns países desenvolvidos, os microplásticos primários são a maior fonte de lixo plástico nos oceanos, segundo o relatório. Os tecidos sintéticos são a principal fonte  na Ásia e os pneus dominam nas Américas, Europa e Ásia Central. A iniciativa de banir microesferas plásticas nos cosméticos é bem-vinda, mas esta fonte é responsável por apenas 2% dos microplásticos primários, segundo o relatório.

As descobertas desse estudo têm implicações nas estratégias para combater a poluição nos oceanos, que atualmente estão focadas na redução de lixo plástico, disse João de Souza, do programa Marine Global da IUCN. “Elas mostram que soluções devem incluir design de produto e infraestrutura, assim como o comportamento do consumidor. Roupas sintéticas podem ser projetadas para soltar menos fibras, por exemplo, e os consumidores podem contribuir ao escolher tecidos naturais em vez dos sintéticos.”

Cada pessoa, nos seus atos cotidianos de consumo, pode contribuir para reduzir os impactos negativos na sociedade e no meio ambiente. Além de dar preferência aos tecidos naturais, por exemplo, o consumidor pode questionar as empresas sobre os materiais dos produtos que compra e apoiar as empresas que se preocupam com os impactos de seus resíduos. É importante que todos percebam que essa poluição retorna para nós mesmos – chega ao nosso prato, por exemplo, já que os microplásticos pode contaminar a fauna marinha.

É possível fazer o download gratuito do relatório completo “Primary Microplastics in the Ocean” (em inglês) no site da IUCN.

Leia mais:
Você é um consumidor consciente? Faça o teste e descubra!

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: