Outra verdade inconveniente

Documentário Trashed, conduzido por Jeremy Irons, aborda uma questão complexa: o que fazer com o nosso lixo?

 

“Quando jogamos algo fora, não pensamos na consequência”, diz um especialista em uma das primeiras cenas do documentário Trashed – Para Onde Vai o Nosso Lixo? E é esse o grande trunfo do filme, produzido e conduzido pelo ator britânico Jeremy Irons – fazer o espectador se importar com o destino de tudo que consome, entendendo melhor o impacto que esse descarte gera local e globalmente.

 

 

Irons viaja por diversas partes do mundo, de um lixão no Líbano (onde as montanhas de dejetos já chegam a 40 metros de altura e ainda não há sinal de resolução do problema) a uma usina de incineração da Islândia, desativada depois que o governo local detectou a contaminação química gerada pelos resíduos eliminados pela fumaça.

Além de analisar esses meios de se lidar com o lixo, os mais populares no mundo, o filme ainda mostra a reação imediata nas redondezas de cada um, com o lado diretamente humano de cada caso – em alguns, uma infestação de moscas incomoda os locais; em outros, há até mutação genética em fetos humanos.

 

 

Outro grande tema do filme é o plástico. Indestrutível, ele se acumula no solo, na água e no ar, liberando substâncias extremamente nocivas ao meio ambiente e ao homem. Enterrá-lo só adia o problema para o futuro, já que ele não vai desaparecer – não, nem o dito “plástico biodegradável”. E queimá-lo só piora a situação, liberando substâncias químicas ainda mais tóxicas.

Mas Trashed não é um filme catastrófico, apesar do panorama assustador que registra. Ele também analisa opções ainda modestas para que o consumidor contribua (pequenos comércios que não trabalham com embalagens descartáveis, criando novos hábitos de consumo consciente) e grandes ações governamentais (como o exemplo de São Francisco, que depois de uma lei municipal passou a reciclar 77% do lixo que gera). Em tese, é o desafio pelo qual o Brasil deve lidar com o vencimento do prazo estabelecido pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), em agosto deste ano, que obriga os municípios brasileiros a eliminar os lixões e a implantar aterros sanitários e coleta seletiva – o que só torna o documentário ainda mais relevante para os brasileiros.

 

 

Trashed – Para Onde Vai o Nosso Lixo? faz parte do programa “Mostra Escola / Circuito Universitário” da 3ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, que conta com o apoio institucional do Instituto Akatu. Estão programadas sessões na Universidade São Judas Tadeu (campi Mooca e Butantã), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Presbiteriana Mackenzie, Senac e Centro de Estudos de Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas (GVces).

Dessas, duas exibições são abertas ao público e gratuitas (e sujeitas à lotação de cada sala).

 

Sessões do Circuito Universitário abertas ao público:

18/03 – Terça-feira, às 19h

. : USP – Tenda Cultural Ortega Y Gasset : .

Endereço: Praça do Relógio – Rua do Anfiteatro, S/N – Cidade Universitária – Butantã

24/03 – Segunda-feira, às 19h

. : Mackenzie – Auditório Rui Barbosa : .

Endereço: Rua Itambé, 135 – Consolação

 

. : LEIA MAIS ; ESPECIAL 3a MOSTRA ECOFALANTE DE CINEMA AMBIENTAL : .
Sobre a 3a Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental

Confira a programação completa

Trashed – Para onde vai nosso lixo? é exibido em universidades durante 3a Mostra Ecofalante

 

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: