Ônibus movidos a hidrogênio entram em circulação em São Paulo

Os veículos, que passam a integrar a frota de transporte público da região, são construídos com tecnologia brasileira e não emitem gás poluente

Ônibus movido a hidrogênio. Crédito: Creative commons/ Governo do Estado de São Paulo

 

Comentário Akatu: O aumento da concentração de dióxido de carbono na atmosfera é uma das principais responsáveis pelo crescente aquecimento global, sinalizando a relação de interdependência ao longo da história entre a ação humana e o impacto sobre os ecossistemas e o comportamento climático. Não é somente a poluição gerada pelos meios de transportes movidos a combustíveis fósseis – como os ônibus – que causa esse tipo de alteração climática, mas também as indústrias, o desmatamento, a exploração pecuária em larga escala também entram nessa lista. Se os consumidores são parte da origem do problema, também são parte de sua solução. Por meio de mudanças em suas práticas cotidianas, os consumidores se percebem como cidadãos e se empoderam, forçando as empresas a produzirem de forma mais limpa. Outra atitude é utilizar meios de transporte não poluentes, como os ônibus movidos a hidrogênio em São Paulo. Este novo comportamento e esta nova consciência são primordiais para reduzir o aquecimento global e suas consequências ruins ao clima do planeta.

 

Passageiros que utilizam transporte público entre as regiões de Santo André e Diadema, em São Paulo, terão a oportunidade de contribuir para a redução da emissão de gases no meio ambiente. Entraram em circulação, no dia 2 de março, no Corredor São Mateus-Jabaquara (ABD), dois novos ônibus movidos a hidrogênio.

Os ônibus, desenvolvidos com tecnologia brasileira, são resultado de um projeto em parceria entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o Ministério de Minas e Energia (MME) , a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo S.A. (EMTU/SP), com recursos do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF) e da Agência Brasileira de Inovação (FINEP).

Em junho de 2015, três ônibus foram entregues ao Estado de São Paulo e ativados para teste. Nesta semana, dois deles foram integrados à frota dos ônibus intermunicipais gerenciada pela EMTU/SP. Os trabalhos começaram pontualmente às 5h20 e às 5h40, ambos operando na Linha 287P Piraporinha a Santo André, em trajeto bastante demandado por usuários.

A tecnologia utilizada de propulsão é totalmente livre de emissões de poluentes. No lugar de dióxido de carbono e outras emissões dos carros comuns, somente vapor d’água é eliminado pelo escapamento dos ônibus.

Além de contribuir para mitigar a mudança global do clima, os novos ônibus também ajudam a impulsionar o uso de tecnologias limpas para transporte no país. “O desenvolvimento da tecnologia, em território nacional, de veículos movidos a hidrogênio, ainda é um processo restrito a um grupo seleto de países. Isso deixa o Brasil em uma posição de destaque mundial na área”, ressalta a oficial de programa de Desenvolvimento Sustentável do PNUD, Rose Diegues.

Os dois ônibus reforçam a preocupação com o meio ambiente. Eles são decorados com pássaros representativos da fauna brasileira e recebem nomes de aves. Um deles é o Ararajuba, ave da região amazônica que representará as regiões Norte e Nordeste, e outro o Sabiá-laranjeira, considerada por decreto presidencial como um dos quatro símbolos nacionais.

 

Leia mais:

Observatório do Clima propõe metas de emissões de gases de efeito estufa

Simulador de Emissões mostra como a escolha de locomoção tem impacto na cidade

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: