Obesidade infantil e violência são desafios aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

A conclusão é do estudo Global Burden of Disease (GBD), que analisou 33 indicadores relacionados à saúde em 188 países

Oferecer vegetais orgânicos às crianças é uma boa forma de combater a obesidade infantil. Creative commons/U.S. Department of Agricuture

 

A obesidade infantil, o consumo de álcool e as mortes causadas pela violência continuam sendo obstáculos significativos para muitas nações no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Esta foi uma das conclusões do estudo Global Burden of Disease (GBD), divulgado no dia 22 de setembro pela Agência Brasil. Mas o relatório também apontou melhorias, como a ampliação do acesso à saúde e planejamento familiar e a redução da mortalidade materna e infantil.

O relatório analisou o progresso de 188 países em 33 indicadores relacionados à saúde. Os países foram classificados por pontuações em uma escala de zero a 100 e divididos em cinco categorias, com base em uma combinação entre educação, fertilidade e renda per capita. Segundo a pesquisa, esta nova categorização ultrapassa a definição de “desenvolvidos versus em desenvolvimento”.

No topo da lista está a Islândia, com pontuação de 85. Já, no final do ranking está República Centro-Africana, com apenas 20 pontos. O Brasil está na 90ª posição, com 60 pontos, seguido de Indonésia, China e Oman (todos com 60 pontos). De todos os indicadores em que foi avaliado, o Brasil obteve seu pior resultado no quesito “violência”.

Mortalidade infantil
O estudo destacou o progresso feito pelo Brasil na redução da mortalidade infantil, eliminando quase 50% das mortes de crianças menores de 5 anos, nos últimos 15 anos. Em 2000, 31 crianças morriam para cada mil nascidos vivos no Brasil. Esse número caiu para 17 em 2015.

Segundo a pesquisa, o mundo obteve, nos últimos 25 anos, uma melhora significativa na sobrevivência materna e infantil. Além disso, muitos países têm atualmente maior acesso a serviços essenciais de saúde, especialmente às terapias antirretrovirais para o tratamento do HIV, e menos pessoas estão morrendo por beber água contaminada e por falta de saneamento, assim como pela poluição do ar.

Mais de 60% dos 188 países analisados no relatório têm taxas de mortalidade materna abaixo de 70 mortes por 100 mil nascidos vivos, atingindo a meta dos ODS, definidos em setembro de 2015 pelas Nações Unidas. Por outro lado, nenhuma nação atingiu o objetivo de acabar com o excesso de peso infantil, ou eliminar totalmente as doenças infecciosas como o HIV ou a tuberculose.

Consumo consciente
Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são um conjunto de 17 metas que a ONU propõe para reduzir a pobreza, promover a prosperidade global e o avanço social e proteger o meio ambiente. São assuntos de elevada importância para a humanidade a fim de transformar a vida no planeta. Nesse contexto se inserem também o consumo e a produção sustentáveis, bem como a responsabilidade social, que são pilares fundamentais para a transição civilizatória em que o mundo todo está envolvido. Nesse sentido, cada pessoa deve conhecer, criar, se engajar e cobrar iniciativas que contribuam no seu avanço.

 

Leia mais:

Conheça os 10 países com melhor desempenho em desenvolvimento sustentável

ONU divulga 1º relatório de acompanhamento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

Edukatu é alternativa para colocar em prática os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: