Número de veículos movidos a gás natural bate novo recorde

No mês passado, cerca de 25,2 mil veículos passaram a circular com o combustível, no Brasil. Frota está perto de chegar a 1 milhão de carros

Comentário Akatu: O Gás Natural Veicular é mais barato e polui menos do que a gasolina, portanto seu avanço não é uma má notícia. Entretanto, também se trata de um combustível fóssil, um recurso não-renovável que contribui para o aquecimento global. Ou seja, alternativas mais sustentáveis têm de ser postas em prática.

Levantamento do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) apontou que o mês de janeiro registrou um novo recorde no número de conversões para gás natural. Cerca de 25,2 mil veículos passaram a circular com o combustível no primeiro mês de 2005 em todo o país. Com isso, a frota nacional alcançou 863.841, e a estimativa do IBP é de que a marca de 1 milhão de veículos movidos a GNV seja alcançada ainda no primeiro semestre, antes do previsto inicialmente.

O Rio de Janeiro manteve a liderança no volume de conversões, 9.184 apenas em janeiro. Em seguida veio São Paulo, com 5.485, e Santa Catarina, com 2.057. No total, a rede de distribuição está em 18 estados e 117 municípios.

O ranking de número de postos por Estado manteve a mesma liderança. Dos quase mil postos existentes no país, o Rio de Janeiro possui o maior número de estabelecimentos, 313, seguido por São Paulo (268) e Minas Gerais (62).

Segundo o secretário de Energia, Indústria Naval e Petróleo do Rio de janeiro, Wagner Victer, até 1998 o Estado contava com apenas seis mil automóveis convertidos. “Hoje, 300 mil veículos no Estado estão utilizando este combustível, o que representa praticamente 40% do consumo de gás natural em todo o país. Com estes números, o Estado do Rio, caso fosse um país, seria a sétima frota mundial”, informou o secretário.

Ainda de acordo com Victer, por meio do programa estadual de incentivo ao uso do GNV, o Rio de Janeiro deixa de emitir cerca de 360 toneladas de gás carbônico por ano, em sintonia com os princípios do Protocolo de Quioto.

Desde 1998, quando as conversões tomaram impulso, as vendas de GNV vêm aumentando em média 35% ao ano, e o consumo no ano passado foi de 1,584 bilhão de m³. A média de venda por posto foi de 152 mil m³/mês. Com isso, o GNV responde atualmente por 3,5% do consumo de combustíveis no país e gás natural já representa 7% da matriz energética nacional.

Se você quiser seguir o Akatu no Twitter, clique aqui.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: