No Dia das Mães, dê mais que presente

Com amor e criatividade, é possível fazer uma celebração memorável e a um custo baixo, para você e para o planeta

Às vésperas do domingo em que se comemora o Dia das Mães, os lojistas jogam suas últimas cartadas e procuram cercar o consumidor por todos os lados. Informações sobre as diversas opções de presentes para as mães chegam pela televisão, e-mail, revistas, isso sem contar com os atrativos enfeites nas vitrines e fachadas das lojas. Afinal, é a segunda data mais importante do ano para as vendas – só perde para o Natal – e, em 2010, vários Estados do Brasil prevêem crescimento acima de 10% nos negócios, segundo representações estaduais da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomercio).

Alheia a todo esse apelo, a estudante de moda Liliana Canhoto, 23 anos, resistiu à tentação de comprar algo para a mãe e manteve seu plano inicial para comemorar a data: ela vai viajar 175 km de São Paulo até Guaratinguetá (no interior paulista), onde mora sua família. Tudo para “cozinhar junto com a mãe”.

“Desde criança ela insiste em fazer brincadeirinhas de mulher comigo. Só que não adiantou porque até hoje, odeio cozinhar. Mas nesse domingo vou me dedicar e vou pilotar o fogão com ela”, conta Liliana. “Não comprei presente porque tive que optar entre mandar por correio ou estar lá pessoalmente. Vida de universitária é feita de escolhas e eu escolhi estar ao lado dela. Acho que ela vai adorar a surpresa”, aposta.

Elaine Toledo, consultora do Instituto Akatu e autora do livro “Saiba Mais para Gastar Menos”, apóia a idéia de Liliana. Ela afirma que, com amor e criatividade, é possível surpreender, agradar e acarinhar as mães a custo zero. “Que tal um dia de “rainha” servindo quem está acostumada a servir? Iniciando por um café da manhã na cama preparado pelos filhos com bilhetinhos humorados e carinhosos”, sugere Elaine. “Depois um almoço preparado pela família e todos se empenharem em deixar a cozinha um brinco como ela gosta. O cardápio? Se ainda não prestou atenção, pergunte para sua mãe qual a comida que ela mais gosta e mãos e corações à obra. Ela vai adorar”, completa.

Para a professora Kátia Santos, 29 anos, as mães merecem carinho o ano todo, mas no segundo domingo de maio, se essa dedicação vier acompanhada de presentes é melhor ainda. “Geralmente todos vamos a casa da minha mãe para almoçar e passar o dia com ela e esse ano vai ser a mesma ciosa. Mas eu sempre compro roupas para ela porque sei que ela precisa”, declara.

“Esta é uma bela oportunidade de presentear as mães, com certeza”, afirma Heloisa Mello, gerente de operações do Instituto Akatu pelo Consumo Consciente. “Não sugerimos que as pessoas parem de comprar, de consumir, até porque é impossível viver sem consumir. Nosso trabalho pretende sensibilizar e educar os consumidores para que eles tenham consciência de seu poder de mudar o cenário preocupante que vivemos hoje. Queremos que o consumidor tenha consciência dos impactos positivos e negativos dos seus atos de consumo”.

O consumo intensivo que se registra em datas como Dia das Mães, Natal e outras festividades ajudam a aumentar o saldo negativo da conta da humanidade. Em geral, isso acontece porque há maior consumo de recursos naturais para produção de mercadorias, transporte e embalagem das mercadorias, e a maioria das indústrias envolvidas ainda não detém processos limpos de produção.

Mercado aquecido
Os empresários do Rio de Janeiro esperam faturar 13,9% a mais neste ano. Em Rondônia, a estimativa de crescimento chega a 12% e, no Rio Grande do Sul, as vendas podem ter uma elevação de até 11%.

A Fecomercio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), Estado que que detém o comércio mais intenso do país, ainda não divulgou os números sobre as previsões de vendas para data, mas estima que os dois setores que mais vendem durante as comemorações do Dia das Mães – o de roupas e tecidos e o de eletrônicos e eletrodomésticos – devem registrar um aumento de mais de 15% em relação ao ano passado.

“As expectativas são boas”, diz Altamiro Carvalho, economista da Fecomercio-SP. “Apesar de indicadores importantes, como o índice de confiança do consumidor e a intenção de consumo das famílias terem registrado um leve recuo de março para abril, esperamos um bom desempenho nas vendas”.

O índice de confiança do consumidor recuou 2,9%; e a intenção de consumo das famílias, 4,8%. Com presente ou não, a celebração do Dia das Mães é uma ótima oportunidade para reforçar os laços familiares e tomar algumas decisões que podem mudar o seu perfil de consumo, incentivando a família a fazer o mesmo. Afinal é possível minimizar os impactos das escolhas de consumo sobre as finanças pessoais, a qualidade de vida, o meio ambiente e a sociedade.

Abaixo, veja mais algumas dicas do Instituto Akatu:

• Use a imaginação e dê presentes alternativos, reciclados, produzidos artesanalmente, de pouco impacto ambiental e feitos para durar;

• Se realmente precisar comprar, planeje os gastos, estipule um limite de despesas e não saia dele. Se comprar a crédito, preste atenção nos juros e avalie se as prestações cabem no orçamento;

• Planeje suas compras antes de sair de casa para não gastar muitas horas nas lojas e aproveite o dia para ficar do lado da sua mãe;

• Escolha presentes que sejam mais simbólicos do que materiais: um texto escrito por você ou do qual você goste; uma canção que marcou sua vida ou uma que tenha algum simbolismo para você e sua mãe; uma entrada para visitar uma exposição ou museu; um roteiro de visita aos lugares de que você gosta na cidade;

• Reflita bem antes de comprar e avalie se o presente é realmente do gosto de quem você está presenteando; o presente terá um significado especial para sua mãe, que vai reconhecer que o presente não é um “genérico”, mas escolhido para ela em um gesto real de amor e carinho;

• Diminua a utilização de embalagens, preferindo as que possam ser reutilizadas;

• Recicle e dê cara nova a tudo o que for possível;

• Não compre produtos pirateados ou contrabandeados e mostre que você compreende o papel dos pequenos gestos na construção da ética da sociedade;

• Opte por comprar produtos de empresas mais social e ambientalmente mais responsáveis;

• Compre só o necessário para a refeição do dia e evite o consumo exagerado de alimentos e bebidas; sempre que possível escolha alimentos orgânicos e de produção local ou próxima da sua cidade.
Se você quiser seguir o Akatu no Twitter, clique aqui

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: