Nasa: derretimento de geleiras no oeste da Antártica é irreversível

Pesquisa realizada pela Nasa e pela Universidade da Califórnia Irvine obrigará cientistas a reverem as previsões de aumento do nível do mar

 

Um novo estudo realizado pela Nasa e pela Universidade da Califórnia Irvine aponta que o derretimento das geleiras do oeste da Antártica chegou a um ponto irreversível.

O estudo apresenta múltiplas linhas de evidência, abordando 40 anos de observação que indicam que as geleiras da região do Mar de Amundsen do oeste da Antártica “passaram de um ponto em que não há retorno”, de acordo com o glaciologista e líder da pesquisa Eric Rignot, da UC Irvine e Jet Propulsion Laboratory (JPL) da Nasa, em Pasadena, Califórnia, nos Estado Unidos. O novo estudo será publicado na Geophysical Research Letters.

Essas geleiras já contribuem significativamente com o aumento do nível do mar. Elas contêm gelo suficiente para elevar o nível do mar em 1,2 metros e estão derretendo mais rápido do que os cientistas esperavam. Rignot disse que as descobertas desse estudo vão exigir uma revisão nas previsões de aumento do nível do mar.

Nas próximas décadas, essa área será a maior responsável pelo aumento do nível do mar, diz o pesquisador. “Em uma estimativa conservadora, levariam séculos para que todo esse gelo derretesse.”

A Nasa divulgou vídeos de animação que mostram o processo de derretimento das geleiras da região oeste da Antártica.

Saiba mais sobre a pesquisa da Nasa e da UC Irvine.

 

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: