Ministério e Sebrae vão capacitar catadores para gestão sustentável de negócios

Acordo prevê início da formação para pequenos empreendedores em 2011

 

Um acordo de cooperação assinado na sexta-feira (03/12) entre o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), prevê a capacitação técnica de catadores de resíduos recicláveis para criação de oportunidades e gestão sustentável dos negócios a partir de 2011.

Aministra do Meio Ambiente, Isabella Teixeira, participou da cerimônia da assinatura dos documentos em Brasília e referiu que o convênio vai permitir que pequenos empreendedores adquiram conhecimentos da recém aprovada  Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS) e aplicá-los nos seus processos produtivos.

Segundo Teixeira, o incentivo à formalização dos catadores de materiais recicláveis por meio do associativismo e cooperativismo é fundamental para que se verifiquem bons resultados. “Sem visão econômica e social desses empreendedores não será possível alcançar os objetivos da agenda ambiental do país”, disse, referindo-se à PNRS.

Essa nova lei, já aprovada e que está em fase de regulamentação, prevê, entre outros, que o poder público incentive as atividades de cooperativas e associações de catadores de resíduos recicláveis e entidades de reciclagem, por meio de linhas de financiamento. Além disso, a PNRS obriga fabricantes de embalagens de produtos nacionais a serem confeccionadas a partir de materiais que propiciem sua reutilização ou reciclagem para viabilizar ainda mais os profissionais de coleta seletiva e reciclagem.

Segundo dados de pesquisa Sustentabilidade Aqui e Agora, realizada pelo MMA e a rede de supermercados Walmart, apoiador estratégico do Akatu, 65% dos entrevistados em 11 capitais brasileiras vê os catadores como principais responsáveis pela coleta e reciclagem de resíduos sólidos descartáveis. “Por isso, precisamos tirá-los da economia informal e dar-lhes o reconhecimento merecido. É preciso profissionalizá-los, por meio de capacitação. Por isso o Sebrae é um parceiro estratégico”, afirmou a ministra.

Para Paulo Okamotto, presidente do Sebrae, “a sustentabilidade está ligada a competitividade, e as micro e pequenas empresas precisam estar inseridas neste processo”, disse Okamotto. “A partir deste convênio, vamos, em conjunto, produzir conhecimento adequado e capaz de tornar os pequenos negócios cada vez mais sustentáveis.”

Se você quiser seguir o Akatu no twitter, clique aqui.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: