Manutenção adequada é o primeiro passo para poluir menos

Dez por cento da frota de veículos é responsável por metade dos poluentes emitidos

A correta manutenção dos veículos é fundamental para garantir que seja liberada a quantidade mínima de poluentes no processo de combustão. Conforme estudo da Cetesb, 10% da frota (composta por carros antigos, sem manutenção adequada) é responsável por 50% das emissões totais de poluentes lançados na atmosfera.

“Um carro regulado não polui, economiza combustível e tem a vida útil do motor prolongada”, avalia Homero Carvalho, da Cetesb.

Já Ricardo Bock, coordenador do curso de Engenharia Mecânica Automobilística da Faculdade de Engenharia Industrial (FEI), fala sobre a importância do catalisador: “O motorista consciente deve manter o motor sempre em perfeitas condições de uso, seguindo a orientação do fabricante, além de evitar modificações como a eliminação do catalisador, que devido ao preço de substituição, por vezes são abolidos”.

Outras peças que são muito exigidas também merecem atenção. Recomenda-se a troca de velas de ignição a cada quinze mil quilômetros. Muitas pessoas tentam limpar as velas ao invés de trocá-las quando apresentam problemas. Com isso, uma grande quantidade de combustível é queimada desnecessariamente e o motor é mais exigido do que o normal, aumentando seu desgaste.

A recomendação de se evitar “gambiarras” serve também para evitar a poluição dos carros a gás (GNV). Hoje, de acordo com estimativas, são um milhão de veículos com a nova alternativa e 300 mil só em São Paulo. No entanto, segundo Carvalho, 99% desses carros foram convertidos sem tecnologia adequada, de forma mais barata. “Ás vezes, acabam poluindo mais. Não adianta nada”, afirma.

Carvalho diz que o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) já regulamentou a homologação dos kits de conversão, mas que a falta de fiscalização não estimula a procura do serviço realizado nas oficinas credenciadas pelo INMETRO.

De acordo com o coordenador, os veículos a partir de 1988 atendem às normas do Conama de emissão de gases poluentes. O Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), criado pelo Conama, foi  implantado pela Cetesb e o Ibama para garantir a redução de poluentes dos veículos, por meio da introdução de tecnologias como catalisadores, injeção eletrônica e melhoria nos combustíveis. O Conama também criou, em 2002, o  Program de Controle de Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares (Promot) que exerce a mesma função do Proconve, mas para as motocicletas. Portanto, as motos saídas das fábricas a partir de 2003 também respeitam os limites de emissão de gases.

Se você quiser seguir o Akatu no twitter, clique aqui.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: