Lixo: organizações e empresas defendem acordos para efetivação de planos municipais

Em evento promovido pelo Instituto Ethos e pela Rede Nossa São Paulo, candidatos à prefeitura de SP assinam compromisso com gestão de resíduos sólidos

Buscando comprometer os diversos setores da sociedade com a gestão do lixo das cidades, o Instituto Ethos e a Rede Nossa São Paulo promoveram o seminário “Política Nacional de Resíduos Sólidos: Desafios e Oportunidades para as empresas”, no dia 28/8, em São Paulo. O evento deu atenção especial aos acordos setoriais (envolvendo empresas, governos municipais, organizações não governamentais) para a implementação dos planos municipais de gestão de resíduos sólidos e apresentou algumas boas práticas que empresas e governos já realizam.

Ao fim do encontro candidatos e candidatas à Prefeitura de São Paulo assinaram a Carta Compromisso para uma Gestão Sustentável de Resíduos Sólidos. Comprometeram-se com a iniciativa Ana Luíza Gomes (PSTU), José Maria Eymael (PSDC), Miguel Manso (PPL), Nádia Campeão representando o candidato Fernando Haddad (PT), e Soninha Francine (PPS).

Com a carta, os signatários assumem:

1.    Garantir a implementação do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos de forma participativa, com todos os setores da sociedade.
2.    Criar, na Secretaria de Serviços, o Comitê Municipal de Resíduos Sólidos, com a representação de diversas secretarias municipais e subprefeituras, bem como de organizações de catadores e outras organizações da sociedade civil relacionadas ao tema. O objetivo desse comitê será construir, definir e monitorar as políticas públicas de forma democrática, ética e transparente, tendo como alicerce a paridade entre o poder público e a sociedade civil.
3.    Elaborar indicadores detalhados e estruturados de resíduos sólidos que permitam um diagnóstico preciso da situação do município e o estabelecimento de metas de redução da geração de resíduos, de ampliação da reciclagem pós-consumo e de universalização da coleta seletiva, com inserção social, as quais devem ser atingidas durante a gestão municipal.
4.    Elaborar a Política Municipal de Educação Ambiental e desenvolver ações e campanhas permanentes para a sociedade e para as redes de ensino sobre consumo sustentável e não geração, redução, reutilização e reciclagem dos resíduos sólidos.

Para o Akatu, tão importante quanto a preocupação integrada com a gestão dos resíduos é a atenção dada à educação para o consumo consciente. Tal educação leva a uma mudança de comportamento do consumidor que transforma sua forma de produzir lixo. Ela é em si um fator determinante para o sucesso de qualquer plataforma de compromissos relacionada ao tema, seja nacional, municipal, envolvendo todos os setores, ou sendo a ação de uma única empresa, por exemplo.

Ao introduzir o tema da educação para o consumo consciente e a sustentabilidade nas escolas, professores e alunos são sensibilizados e mobilizados na direção de um consumo diferente. Por meio dele procuram reduzir a quantidade de resíduos gerados, evitando compras desnecessárias, utilizando produtos até o fim de sua vida útil, ou reciclando os resíduos ao invés de enviá-los para a coleta geral. Para isso, o Akatu desenvolveu um projeto piloto no qual construiu um sistema de introdução do tema do consumo consciente no Ensino Fundamental 2, de modo a engajar os professores de cada disciplina em projetos sobre o assunto. Em breve, esse projeto será expandido para uma escala mais significativa.

O seminário contou com a participação de Victor Bicca, presidente do Compromisso Empresarial pela Reciclagem (Cempre), Carlos da Silva Filho, diretor-executivo da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), Stefan David, gerente de projetos da Associação Técnica Brasileira das Indústrias Automáticas do Vidro (Abividro), e Roberto Rocha, do Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR). As empresas Diageo, Inova Serviços Urbanos, SBC Valorização de Resíduos e Tetra Pak apresentaram suas ações em relação à gestão de resíduos, seus resultados e principais desafios.

 

Durante o encontro foi lançada também a publicação Política Nacional de Resíduos Sólidos: Desafios e Oportunidades para as empresas. O conteúdo, produzido pelo Instituto Ethos e pela Rede Nossa São Paulo, além de trazer um panorama da legislação referente à Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), procura traçar um resumo histórico que ajuda a compreender quais as origens da atual política e quais são suas implicações. Também são apresentados casos práticos para mostrar que já existem empresas trabalhando com resíduos sólidos de forma inovadora e responsável.

Leia mais:
– Maior parte dos estados e municípios não tem Plano de Gestão de Resíduos Sólidos

 

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: