Aquecimento global é causado pela atividade humana

Relatório do Painel da ONU sobre Mudança Climática confirma influência humana como a causa dominante do aumento da temperatura do planeta; concentração de gases como o CO2 é a maior em 800 mil anos

Comentário Akatu: Como confirma o novo levantamento do Ipcc, órgão criado pelo Pnuma-ONU para estudar as mudanças climáticas, a atividade humana é uma das principais responsáveis pelo crescente aquecimento global. Mas não é somente a poluição industrial que gera esse tipo de alteração climática: desmatamento, exploração pecuária em larga escala, utilização de meios de transportes movidos a combustíveis fósseis e energias geradas de forma poluente também entram nessa lista. Se os consumidores são parte da origem do problema, também são parte de sua solução. Por meio de mudanças em suas práticas cotidianas, os consumidores se percebem como cidadãos e se empoderam, forçando as empresas a produzirem de forma mais limpa. Este novo comportamento e esta nova consciência são primordiais para reduzir o aquecimento global e suas consequências ruins ao clima do planeta.

O Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática, Ipcc, confirmou no último dia 27 de setembro que a influência humana é a causa dominante do aquecimento global observado desde 1950.

As atividades humanas contribuem com 95% a 100% do aumento da temperatura do planeta. Da cidade de Xian, na China, o professor e membro do IPCC, Filipe Duarte Santos, explicou à Rádio ONU quais são essas ações.

“As atividades são essencialmente duas. A utilização dos combustíveis fósseis, do carvão, do petróleo e do gás natural. Esses combustíveis fósseis representam cerca de 80% das fontes primárias de energia a nível global, 80% é um valor muito elevado. E a outra causa das emissões de dióxido de carbono na atmosfera são as alterações do uso dos solos e em particular, o desmatamento.”

O professor Filipe Duarte Santos ressalta que a agricultura e a pecuária também causam o aquecimento global. Segundo ele, a produção de arroz, por exemplo, lança na atmosfera grandes quantidades do gás metano.

Níveis Históricos 

O relatório do Ipcc informa ainda que a concentração na atmosfera de gases como metano, dióxido de carbono, CO2, e óxido nitroso, é a maior já observada em 800 mil anos. Só as concentrações de CO2 aumentaram 40% desde os níveis da era pré-industrial. O oceano absorve 30% desses gases, o que causa a acidificação dos mares.

O Ipcc destaca que a mudança climática é sem precedentes, com aquecimento da atmosfera e dos oceanos; diminuição da neve e do gelo; aumento do nível do mar e maior concentração de gases que causam o efeito estufa.

A previsão do painel é que a temperatura média global irá aumentar entre 0,3° C e 0,7° C no período 2016-2035. Com a mudança do clima, a população enfrenta menos dias frios e mais dias e noites quentes. Outra estimativa do Ipcc é de que até 2100, o volume glacial pode ser entre 35% e 85% menor.

O painel recomenda uma redução sustentada e substancial das emissões dos gases que causam o efeito estufa, como maneira para limitar a mudança climática. Mas o Ipcc acredita que os efeitos irão persistir por “muitos séculos, mesmo se houvesse um fim das emissões de dióxido de carbono”.

Clique aqui para ler a notícia original publicada pela Radio ONU.

Curta no Facebook.
Siga no Twitter.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: