GPA renova apoio ao Instituto Akatu e reafirma compromisso com o consumo consciente

Por meio da parceria com o Akatu, o GPA busca sensibilizar e mobilizar a população para fazer escolhas de modos mais conscientes de consumo

Crédito da foto: divulgação

 

O consumo consciente é um dos compromissos de sustentabilidade do GPA, que renova mais uma vez o seu apoio ao Instituto Akatu.

Apoiador do Akatu desde 2003, o GPA é a maior empresa de varejo e distribuição do Brasil, com 2 mil pontos de venda localizados em 22 estados brasileiros e no Distrito Federal. Tem um amplo portfólio de negócios, que inclui supermercados, venda de eletroeletrônicos e móveis, e-commerce, postos de combustíveis e drogarias.

Por meio da parceria com o Akatu, o GPA busca sensibilizar e mobilizar a população para fazer escolhas de modos mais conscientes de consumo, com respeito ao meio ambiente e à sociedade. Em 2013, o GPA foi um dos patrocinadores de um importante estudo do Akatu, a “Pesquisa Akatu 2012: Rumo à Sociedade do Bem-Estar”.

Agricultura orgânica e produção comunitária

Uma das preocupações do grupo é incentivar o desenvolvimento da agricultura orgânica do país. Na “Quinta-feira do orgânico”, realizada pela rede de supermercados Pão de Açúcar, há descontos de 20% em todos os produtos da categoria.

A agricultura e produção comunitária também é oferecida nas lojas do Pão de Açúcar, por meio do programa Caras do Brasil. Ao incentivar a produção artesanal, o GPA apoia a geração de renda nas comunidades, além de oferecer produtos diferenciados e com história.

Destinação de resíduos

Há 16 anos, a reciclagem de embalagens é incentivada pelo GPA. Postos de entrega voluntária estão disponíveis em lojas das bandeiras Pão de Açúcar e Extra. Em 2016, mais de 13 mil toneladas foram doadas para cooperativas de reciclagem parceiras do Programa. Há também coletores de pilhas, baterias, medicamentos e celulares, que exigem um descarte e destinação especiais.

Nas lojas Assaí, o cliente que entrega materiais recicláveis como papel, vidro, metal e plástico pode conseguir descontos na conta de luz. O desconto é dado de acordo com o peso do material reciclável e as parcerias são com as distribuidoras de energia locais – AES Eletropaulo (SP), Energisa (SE) e Enel (RJ e CE) Em 2016, foram inauguradas mais 3 estações, totalizando 11 pontos de entrega voluntária de embalagens.

Outro programa de destaque é o “Novo de Novo”, o programa funciona assim: algumas cooperativas de reciclagem no Estado de São Paulo separam papéis em geral e caixinhas de produtos longa vida coletados nas Estações. Essas embalagens são compradas por uma indústria de papel fornecedora e parceira do GPA, que extrai seu conteúdo de celulose – cerca de 75% da composição do material – e o transforma novamente em papel-cartão, usado para fabricar as embalagens. Dessa forma, em 2016, 1.562 toneladas de materiais descartados ganharam novo ciclo de uso e retornaram às nossas lojas depois de reprocessados, na forma de 3,7 milhões de embalagens de produtos das marcas próprias do GPA.

Ainda em 2016, o projeto lançou um novo produto com a reciclagem de plástico, em parceria com a Braskem. Todo o volume de tira-manchas Qualitá vendido no Brasil – cerca de 10 mil potes por mês – terá embalagens fabricadas com a resina reciclada.

O desperdício de alimentos, um dos desafios dos varejistas, também é tratado no GPA na gestão de resíduos. O projeto ”Parceria contra o desperdício” realiza a doação de frutas e legumes das lojas Multivarejo e Assaí a entidades beneficentes. Esses alimentos, embora esteticamente não estejam adequados para a venda aos consumidores, podem ser ingeridos com segurança. No total, a doação foi de mais de 3.733 mil toneladas de alimentos a mais de 300 entidades, um incremento de 24,4% na quantidade doada em relação a 2015.

Cadeia produtiva

Com objetivo de reforçar os processos de controle e a mitigação dos riscos de desmatamento relacionados à produção pecuária no Brasil, o GPA publicou seu compromisso sobre a compra de carne bovina em março de 2016.

Com isso, são realizados workshops internos e encontros com parceiros, com objetivo de engajar todos os atores da cadeia no mapeamento, no monitoramento e na readequação de fazendas e frigoríficos fornecedores do Grupo.
No final do ano, 98% de toda a carne vendida nas lojas já era monitorada por algum sistema de rastreamento, permitindo conhecer a última fazenda antes do abate.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: