Ethos e Serasa Experian fazem acordo para facilitar monitoramento de produtores da Amazônia

Cooperação envolve ferramenta que permitirá diagnóstico dos fornecedores das cadeias produtivas da pecuária, soja e madeira

No último dia 18, a Serasa Experian e o Instituto Ethos oficializaram parceria que facilitará o monitoramento das cadeias produtivas da pecuária, soja e madeira com impactos no bioma amazônico. A cooperação envolve a disponibilização do acesso a uma ferramenta de análise de riscos socioambientais, produzida pela Serasa. O sistema, chamado Conformidade Ambiental, permite o diagnóstico dos fornecedores das empresas signatárias dos pactos setoriais do programa Conexões Sustentáveis: São Paulo – Amazônia, gerenciado pelo Ethos.

Essa plataforma, totalmente on-line, parte do CNPJ ou CPF dos produtores de todo o país para fazer uma busca nos bancos de dados de órgãos ambientais federais (Agência Nacional de Águas e Ibama) e estaduais, além da Lista Suja do Trabalho Escravo do Ministério do Trabalho (MTE). “É uma ferramenta voltada para empresas e bancos e reúne as informações relacionadas à conformidade com a legislação ambiental e social de cada produtor para facilitar decisões de negócio sob a ótica da sustentabilidade”, explica Franklin Mendes Thame, Gerente de Riscos Socioambientais da Serasa Experian.

O objetivo desse monitoramento é valorizar os fornecedores social e ambientalmente responsáveis, principalmente os que fazem parte da cadeia produtiva de empresas participantes do programa Conexões Sustentáveis. “Um dos compromissos das signatárias [do programa] é apresentar a lista de seus principais fornecedores. Antes já havia uma avaliação mais rudimentar, mas agora esses fornecedores serão monitorados por meio dessa ferramenta, com informações oficiais e reais, em uma plataforma desenvolvida especialmente para isso”, detalha Caio Magri, Gerente Executivo de Políticas Públicas do Ethos. O monitoramento da lista de fornecedores ficará a cargo do Conexões Sustentáveis. “A existência de inconformidades em alguns fornecedores fará com que as próprias empresas possam cobrar a resolução desses problemas e criar um sistema real de compliance”, completa.

Grandes varejistas como o Grupo Pão de Açúcar, Wal-Mart e Carrefour, participantes do programa, são estratégicos para que tal iniciativa chegue ao consumidor final. “Cada um deles tem adotado uma política de comunicação, mas é importante que divulguem a informação de que determinados produtos têm a origem rastreada e controlada”, afirma Magri. Com tal informação, o consumidor pode exercer seu poder de escolha e ajudar a valorizar os fornecedores que investem no desenvolvimento sustentável da região amazônica.

Conexões Sustentáveis
O programa Conexões Sustentáveis: São Paulo – Amazônia coordena pactos empresariais para a preservação da floresta amazônica e de seus povos, com compromissos setoriais na área de pecuária, soja e madeira no sentido de financiar, distribuir e comercializar produtos com certificação e provenientes de fornecedores que valorizam o desenvolvimento sustentável da região. “Com a ferramenta disponibilizada pela Serasa Experian, alcançamos não apenas as 58 empresas signatárias, mas principalmente sua rede de fornecedores, que passa dos 10 mil produtores”, conclui Magri.

 

Leia também:
Akatu participa do debate Conexões Sustentáveis no GIFE

Siga no twitter
Curta no facebook

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: