Estudo do BID sobre cidades inteligentes traz um novo conceito de sustentabilidade urbana

A publicação mostra 50 exemplos de soluções inovadoras adotadas por cidades na América Latina, inclusive no Brasil

Crédito: Divulgação/BID

Crédito: Divulgação/BID

 

Novo estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), publicado com o título “Caminho para as smart cities: Da gestão tradicional para a cidade inteligente”,  traz um novo conceito de sustentabilidade urbana, com características que vão além de questões ambientais, com variáveis culturais, políticas, institucionais, econômicas e sociais, tendo em vista que até 2050, 70% de toda população mundial, cerca de 6 bilhões de pessoas, estarão vivendo nas cidades.

Uma Cidade Inteligente, de acordo com a pesquisa do BID, é aquela que coloca as pessoas no centro do desenvolvimento, incorpora tecnologias da informação e comunicação na gestão urbana e utiliza esses elementos como ferramentas que estimulam a formação de um governo eficiente, que engloba o planejamento colaborativo e a participação cidadã. Além disso, favorece o desenvolvimento integrado e sustentável tornando-se mais inovadora, competitiva, atrativa e resiliente, melhorando vidas.

E onde estão essas cidades inteligentes? A publicação do BID traz 50 exemplos, entre estudos de caso, desenhos de projetos, experiências e estratégias adotadas pela instituição em cidades da América Latina e Caribe. Entre as cidades estudadas estão Buenos Aires (Argentina), Bogotá e Medellín (Colômbia), Guadalajara e Chihuahua (México), Montego Bay  (Jamaica), Nassau (Bahamas), Montevidéo (Uruguai) e Valdívia (Chile). No Brasil, os municípios do Rio de Janeiro, Niterói, Goiânia, Vitória, Palmas, João Pessoa e Florianópolis compõem a análise.

As principais áreas de atuação destes projetos são segurança, mobilidade, gestão de emergências ligadas às Mudanças Climáticas e consequentes desastres naturais, consumo energético, poluição ambiental, administração de água e resíduos, conectividade, participação cidadã, centros integrados de operação e controle, entre outros. São temas também abordados pelo Instituto Akatu. A ideia é que esse conjunto de projetos seja usado como um guia para os municípios que queiram adotar soluções para uma gestão menos tradicional e mais eficiente.

Desde 2011, o BID apoia as cidades latino-americanas no desenvolvimento de desenhos de cidades inteligentes em parceria com empresas como Microsoft, Cisco, KHRIS (Korean Research Institute for Human Settlements), entre outras.

A publicação “Caminho para as smart cities: Da gestão tradicional para a cidade inteligente” está disponível online gratuitamente em português , espanhol e inglês.

 

Leia mais:

ONU divulga 1º relatório de acompanhamento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

Pesquisa Akatu investiga o que acelera e o que dificulta a mudança para estilos sustentáveis de vida

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: