Especial Fim de Ano: combine práticas tradicionais com hábitos mais conscientes

O Natal está chegando e o impulso por consumir mais do que o necessário também. O Akatu preparou algumas dicas para que você seja mais consciente nessa época do ano

Arte: Flávia Fernandes

 

Neste final de ano, o Akatu estimula todos a adotarem atitudes mais conscientes em suas tradições para as comemorações de Natal e de Ano-Novo. Refletir sobre o real significado desse período é fundamental na hora de se planejar e de promover encontros e reuniões que estejam alinhados aos seus valores e também aos de seus familiares.

Ao longo dos anos, o espírito natalino foi parcialmente substituído pelo espírito do consumismo. A época do Natal se tornou um importante símbolo comercial, acompanhado de compras por impulso, gastos sem planejamento, excessos e desperdícios em casa e no bolso.

Ceia, presentes, decoração… Será que é possível manter as tradições dessa data tão esperada consumindo de forma consciente? É muito bom receber a visita daquele tio que não abre mão de cozinhar o peru todos os anos, mas cozinhando apenas a quantidade suficiente para os que estarão presentes na ceia. É muito bom atender ao pedido do filho que espera por novos brinquedos, mas sem exageros de compras e complementando com muito afeto. É gostoso ver a árvore de Natal com alguns enfeites novos, mas usando também os enfeites que já fazem parte da tradição da família. Com ações como essas, são mantidas as tradições, que nos trazem tantas memórias afetivas, e, ao mesmo tempo, respeitar o meio ambiente e o uso dos recursos naturais.

Inovar nas escolhas que fazemos antes e depois do Natal, valorizando o afeto e evitando o desperdício, é bom para reforçar que o melhor presente é sempre estar presente.

Nesse sentido, como é possível consumir melhor no Natal? O Instituto Akatu preparou dicas para que as festas de final de ano sejam mais verdadeiras, sustentáveis e prazerosas.

 

Ceia: planeje mais, desperdice menos

                A mesa da ceia de Natal da família brasileira tem a tradição de ser farta. Com receio de faltar comida e com vontade de agradar a todos os gostos, é comum as pessoas preparem mais do que é realmente necessário. Por isso, o Akatu sugere:

  •            Planeje, ao máximo, a quantidade de comida que será oferecida. Conte o número de pessoas que estarão presentes, faça o cálculo de quanto cada um costuma comer e beber e evite desperdícios.

 

  •            Informe-se a respeito dos gostos alimentares de cada pessoa. A uva passa no arroz causa muitas vezes uma polêmica durante o Natal; que tal perguntar quem gosta ou não desta combinação? De qualquer forma, em caso de muita dúvida, há o caminho de fazer o arroz e deixar a uva passa ao lado para quem desejar acrescentá-la.

 

  • O consumo de carnes também está presente nas ceias brasileiras. A FAO (Food and Agriculture Organization of the United Nations) estima que o desperdício de carne associado à etapa de consumo na América Latina é de 6%. Portanto, se um grupo com 12 pessoas, ao se reunir para o Natal, comprar um peru e um chester para compor a mesa da ceia e não reaproveitar as sobras da refeição, o excedente de carne pode chegar a quase meio quilo! O volume de água consumido para a produção dessa quantidade de carne ultrapassa os dois mil litros, equivalente ao utilizada por uma família para lavar a louça de sua residência, diariamente, ao longo de um mês. Por isso, pense a necessidade de comprar vários tipos de carne em sua ceia. Será que é necessário comprar um chester e também um peru? Ou um pernil e também um tender? A escolha que levar em conta a quantidade de pessoas que vão consumir evitará desperdícios após a ceia.

 

  •            Na hora de preparar a ceia também é importante dar preferência aos vegetais e às frutas cultivados na sua região ou em local próximo, e que façam parte da safra desta estação. Neste caso, o custo de transporte é menor como também o impacto ambiental da queima de combustível no transporte. Além disso, ao consumir os produtos da estação, estamos comprando itens que são cultivados naturalmente, exigindo menos transporte e menos defensivos agrícolas, tendo então um menor impacto ambiental.

 

Estar presente é o melhor presente

As compras e os presentes são parte imprescindível da comemoração do Natal. Mas lembre-se de que estar presente é a melhor forma de comemorar com aqueles que amamos e de valorizar os afetos.

O Akatu convida você a fazer essa reflexão antes de partir para as compras:

  •            Antes de comprar um presente, reflita sobre a real necessidade de adquiri-lo. Será que você está comprando o presente sem necessidade? Utilize a primeira das 6 perguntas do Consumo Consciente do Akatu – porque comprar? – antes de decidir comprar. Talvez você conclua que um ou outro presente não é necessário.

 

  •            O amigo secreto é uma das grandes tradições no Natal. Que tal inovar e, ao invés de comprar um presente, dar algo que você já tem, como um livro que está parado na estante? Levá-los para o amigo secreto é estender o uso desse produto, valorizando assim os recursos naturais que foram necessários em sua produção. Além disso, o dinheiro fica no bolso…

 

  •            E se você fizer, com suas mãos, um presente realmente especial? Uma lembrança feita com carinho vale, muitas vezes, mais que um presente caro e impessoal. Por isso, esse presente terá mais significado para a pessoa que vai recebê-lo.

 

  •            Há outra opção de presente que, além de criativo, propõe o benefício de uma causa social. É a iniciativa Presente Consciente, um “vale-doação” que pode ser comprado no site e enviado pela internet, com valores a partir de R$ 30. O presenteado pode escolher uma ou duas instituições para receber a doação. Ao optar por este caminho, você poupa recursos naturais e presenteia duplamente: a pessoa e também uma instituição.

 

  •            Que tal perguntar o que a pessoa que será presenteada realmente precisa? Não se sinta mal em perguntar. É comum o hábito de presentes que são surpresa, mas nem sempre essa é a escolha mais consciente. Comprar um item que a pessoa já tem ou que ela não precisa pode ser um desperdício de recursos naturais e também financeiro. Ainda mais se a pessoa não tiver como trocá-lo, pois se tornará um objeto parado e sem uso. Por isso, seja sincero e peça dicas de presentes!

 

  •               Uma camiseta é um presente muito comum e apreciado. Mas é bom pensar que, durante sua vida (desde a aquisição de materiais e seu processamento, produção, distribuição e armazenamento, uso e descarte), uma camiseta emite uma quantidade de gases de efeito estufa (GEE) equivalente à da geração de energia elétrica necessária para iluminar 1,35 milhão de mini lâmpadas de LED, daquelas usadas como pisca-pisca em árvores de Natal, durante meia hora. Essa quantidade é equivalente a todas as lâmpadas usadas durante o show do Natal Luz de Gramado – um dos eventos natalinos mais iluminados e conhecidos do Brasil. Por isso, antes de comprar uma camiseta de presente, reflita sobre os seus impactos ambientais e sobre a sua real necessidade na vida da pessoa que será presenteada.

 

  •            As embalagens de presente são parte fundamental do Natal. Afinal, quem não gosta de uma linda embalagem? Mas entregar um presente bonito não necessariamente significa abusar de papeis, plástico, laços, colas e enfeites que serão descartados após as comemorações ou que, mesmo se reutilizados, logo perderão o seu uso. Lembre que tudo o que é “jogado fora”, no lixo, continua dentro do nosso planeta; o “fora” é aqui na Terra. Por isso, repense a forma como você realiza seus pacotes e pesquise opções recicláveis ou biodegradáveis que impactem menos o planeta.

 

 

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: