Em meio à folia do Carnaval, o consumo consciente

A data pode ser uma ótima oportunidade para iniciar as conversas sobre sustentabilidade no novo ano letivo

Foto: Professora Ana Carla Dávila reaproveita materiais para produzir fantasias com os alunos – Crédito: Arquivo pessoal

 

O Carnaval desse ano chega, em muitas escolas, com o início das aulas e pode ser o primeiro contato com novos alunos e também com a sustentabilidade e o consumo consciente. Durante a festa no pátio, conversas e atividades sobre uma alimentação saudável para aproveitar bem os dias de folia e a criação de fantasias com reaproveitamento de materiais são boas opções para aprender de forma lúdica e divertida.

A professora Ana Carla Dávila curte o Carnaval com seus alunos com o reaproveitamento de abadás, fantasias e com o uso de materiais recicláveis. Além de “muita disposição e alegria”, de acordo com ela, que conquistou o terceiro lugar do desafio regional “A Natureza das Coisas” do Edukatu, rede aberta e gratuita de aprendizagem para o consumo consciente do Instituto Akatu.

Professora de Educação Física da Escola Municipal Nossa Senhora dos Anjos, em Salvador (BA), Ana relata o que criou com seus alunos para uma das festas mais esperadas por eles. “Fizemos máscaras com a parte interna da caixa de leite e enfeitamos com cola colorida e glitter. Furador de papel e revista velha são ótimos confetes também! E fizemos a ‘mamãe sacola’ com sacola plástica de mercado, cordão e restos de arame pra arrematar o cabo.”

Criada pela professora, a “mamãe sacola” se parece com um pompom e serviu para animar o Carnaval e também as torcidas de suas aulas de Educação Física. “Juntamos três sacolas plásticas, cortamos o fundo na horizontal e, depois, cortamos na vertical, próximo a região das alças. Depois disso, dobramos juntas para formar um único volume de fitas e arrematamos com um pedaço pequeno de fita adesiva. Enrolamos barbante ou pedaços do plástico e pronto! Sacode!”

Para tanto agito e brincadeiras é preciso que o corpo esteja saudável. Por isso, uma alimentação consciente é fundamental. A professora Ana também tem realizado atividades com seus alunos para conversarem sobre o assunto. Atividades que discutem alimentação são as prediletas da professora, que criou um grupo de conversa no WhatsApp para que cada estudante enviasse fotos do que consumia durante as refeições. Juntos debatiam se aquele prato estava equilibrado de acordo com o que o corpo necessita consumir diariamente: hortaliças, frutas, cereais, proteínas e gorduras, sem esquecer da água.

Para dar continuidade às atividades que envolvem uma alimentação consciente, esse ano a professora poderá contar com o percurso “Comer, Dividir e Brincar“, que faz parte do circuito “Estilos Sustentáveis de Vida”.

Gamificado e muito divertido, o percurso disponibiliza gratuitamente para professores atividades, jogos e planos de aula sobre uma alimentação saudável com temas como obesidade e desnutrição infantil e aproveitamento integral de alimentos na hora de preparar as refeições, por exemplo.

Uma ótima forma para que os debates comecem em sala de aula e ganhem outras esferas, como a merenda escolar e as compras no mercado e na feira das famílias dos estudantes.

Para ter acesso ao conteúdo do Edukatu basta cadastrar-se gratuitamente neste link: bit.ly/cadastro-edukatu

A plataforma é uma iniciativa do Instituto Akatu em parceria com a Braskem, com o apoio da HP, Fundação Cargill, Costa Brava, KPMG e Grupo Mais Unidos, e com apoio institucional do Ministério do Meio Ambiente e do Ministério da Educação.

Leia mais:

Dez dicas para ter um Carnaval consciente e sustentável

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: