Edukatu premia as escolas vencedoras do desafio “De Onde Vêm as Coisas?”

Instituições de ensino do Rio Grande do Sul, Rondônia e Espírito Santo se destacaram por apresentar ações que solucionam problemas do cotidiano

 

O desafio “De Onde Vêm as Coisas?” – promovido durante o primeiro semestre de 2014 pelo Edukatu – Rede de Aprendizagem para o Consumo Consciente, iniciativa do Instituto Akatu em correalização com a Braskem – buscou estimular escolas de Ensino Fundamental I e II a discutirem consumo consciente e ciclo de vida dos produtos a partir de objetos do cotidiano. O desafio teve três escolas ganhadoras: E.M.E.F. Vinte e Cinco de Julho (RS), E.E.E.F.M. Murilo Braga (RO) e Colégio Marista Nossa Senhora da Penha (ES), que foram classificadas em primeiro, segundo e terceiro lugares, respectivamente.

“Escolher as vencedoras foi também um desafio para os avaliadores. Todas as escolas que participaram da campanha mostraram interesse no tema, apresentaram ações que podem melhorar problemas reais do dia a dia de diversas comunidades. Mas, como só podíamos premiar três, selecionamos aquelas que engajaram o maior número de pessoas, completaram ao menos um percurso do Circuito Natureza e cumpriram todos os desafios propostos durante a campanha”, explica Silvia Sá, Gerente de Educação do Instituto Akatu.

Uma das ganhadoras foi a E.M.E.F. Vinte e Cinco de Julho, situada na cidade de Campo Bom (RS). A escola gaúcha ficou em primeiro lugar com o projeto Eco Web, que surgiu da crença de que os alunos precisam vivenciar e aprender a resolver problemas reais, como os causados pela época de enchentes ou pelo período de seca, entre outros. A equipe organizou uma campanha para mobilizar a comunidade, em que foram distribuídas mudas de árvores para plantio na ciclovia de um bairro próximo e ímãs de geladeira com lembretes do dia da coleta de lixo seco. Em uma das atividades, os alunos ainda foram convidados a analisar como seriam os objetos de seu cotidiano, se não fossem de plástico. “Seria muito mais difícil a vida sem o plástico. Poucas pessoas percebem, mas estão sempre utilizando o plástico no seu dia a dia”, contou Larissa Packs, aluna participante da equipe vencedora do desafio.

Além disso, o time que realizou o desafio convidou todas as escolas do município para participarem das ações. “Desde o início, a ideia foi associar as tecnologias da informação e da comunicação à sustentabilidade, para compartilhar ações e buscar novos olhares que levassem a refletir sobre a importância da preservação ambiental”, comemora Margarida Telles da Cruz, professora de Ciências da escola de Campo Bom.

Outro trabalho premiado foi o apresentado pela escola E.E.E.F.M. Murilo Braga. A instituição de ensino situada em Porto Velho, em Rondônia, apresentou o Programa Mais Educação para diminuir o desperdício de alimento na escola. A equipe também realizou várias campanhas sobre consumo consciente de água, transportes alternativos e doação de mudas, que resultou em um plantio de um pequeno pomar, um jardim e uma horta. “O empenho deste time foi tão grande, que eles conseguiram realizar os três percursos propostos do Circuito Natureza. Além disso, atingiram o objetivo de reduzir o desperdício de alimento, sensibilizando a comunidade escolar sobre a questão”, afirma Carmem Silvia de Andrade Corrêa, professora de Geografia da escola.

Em terceiro lugar, ficou o Colégio Marista Nossa Senhora da Penha, de Vila Velha, no Espírito Santo. A equipe trabalhou no projeto Por um Mundo Melhor, que buscou criar uma consciência ecológica nos alunos por meio de atividades lúdicas que os permitissem atuar como agentes modificadores de sua realidade. De acordo com Gisele Prado, professora responsável pelo projeto, um dos momentos mais importantes do desafio foi a atividade sobre reaproveitamento de resíduos. “Por sugestão de uma das alunas, foi realizada uma votação para escolha do que seria produzido pela equipe. Desta forma, foram confeccionadas lixeirinhas, feitas com caixas de leite, para estimular a destinação correta dos resíduos gerados em sala de aula”, sinaliza Gisele, ressaltando que a equipe também criou uma campanha para trabalhar junto à comunidade escolar a necessidade de se repensar os hábitos de consumo.

“Estamos muito satisfeitos em ver a concreta contribuição do Edukatu para escolas, alunos e professores. A mobilização de várias pessoas em busca de concretizar projetos que trarão benefícios a todos é exatamente o que buscamos. Sem dúvida, o desafio proporcionou uma oportunidade enriquecedora de reflexão sobre o plástico nas nossas vidas e o impacto das nossas escolhas e decisões”, aponta André Leal, Líder de Responsabilidade Social da Braskem.
As três escolas serão premiadas com equipamentos de informática, para facilitar o acesso às atividades realizadas pela rede do Edukatu. A instituição que ficou em primeiro lugar será contemplada com uma oficina promovida pela equipe do Edukatu, a produção de uma videorreportagem sobre o trabalho realizado e três tablets. A oficina na escola de Campo Bom será realizada no dia 9 de setembro e mobilizará toda a sua comunidade escolar. O segundo lugar receberá um tablet e uma máquina fotográfica e o terceiro, mais um tablet.

Para o segundo semestre, o Edukatu já está preparando um novo desafio, com o objetivo de promover nas escolas a discussão sobre consumo consciente de alimentos.

Leia mais:

Em agosto, Edukatu realiza oficinas em Roraima com ajuda de mais de 80 benefeitores

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: