Economia de energia: um assunto para tirar do standby

Parte do desperdício de energia ocorre em situações às quais não prestamos atenção

 

Muita gente acha que economizar energia é uma tarefa difícil. Mas mudar alguns hábitos simples e pequenos pode ajudar você a diminuir seu consumo energético e, consequentemente, sua pegada ecológica no planeta. Uma sugestão prática de como começar é tirando os equipamentos da tomada quando estiverem fora de uso.

Mas por quê? Aparelhos como TV, DVD, ar-condicionado, rádio-relógio, home theater, decodificadores de TV a cabo, sistemas de segurança e micro-ondas são alguns dos equipamentos que podem consumir uma quantidade considerável de energia se a luzinha que indica o modo standby estiver acesa.

Não é a luzinha em si que gasta energia, seu consumo é mínimo. O gasto principal da função standby vem da energia consumida pelo sistema para manter alguns dispositivos funcionando, ainda que só em parte. Permanecer com um aparelho em modo standby significa deixar o aparelho pronto para o uso ou ativação rápida por meio de controle remoto ou botões no próprio aparelho. Isto é, ele está parcialmente ligado, esperando para ser acionado. Esse tipo de consumo, de acordo com a AES Eletropaulo, distribuidora de energia elétrica da região metropolitana de São Paulo, pode representar de 15% a 40% do consumo médio total de energia dos equipamentos de uma residência, por exemplo.

Antonio Mendes da Silva Filho, doutor em Ciência da Computação da Universidade de Pernambuco (UFPE), em um artigo sobre o consumo de energia no modo standby expõe dados interessantes sobre alguns aparelhos, como é o caso do micro-ondas, “[…] que durante quase um terço do ano consome mais energia no modo standby (mantendo seu relógio e teclado por toque ativo) do que cozinhando ou esquentando alimentos”. Leia aqui o artigo na íntegra.

Além de evitar deixar os aparelhos em modo de espera, há outras dicas que podem ser úteis para a economia e consumo mais consciente de energia em sua casa, escritório ou empresa. Confira:

– Dê preferência a produtos com o Selo Procel, que qualifica aqueles que têm maior eficiência no consumo de energia. A classificação vai do A, que é o mais eficiente, até o E, com menos eficiência. Para importados, procure o selo Energy Star.

– Mantenha sua geladeira afastada do fogão, do contrário ela gastará mais energia elétrica para compensar o calor transmitido pelo equipamento.

– Passe a maior quantidade possível de roupas de uma vez, utilizando a temperatura indicada no ferro para cada tipo de tecido.

– Troque suas lâmpadas incandescentes por fluorescentes ou LED, que são mais eficientes, duráveis e econômicas.

– Desligue o chuveiro enquanto ensaboa o corpo ou lava os cabelos.

– Ao cozinhar, retire todos os ingredientes de uma só vez da geladeira.

– Faça a revisão da vedação de sua geladeira para evitar que o frio saia e o calor de fora entre, o que exigirá que a geladeira trabalhe mais para resfriar.

– Desligue o computador na hora do almoço.

– Evite acender lâmpadas durante o dia. Para clarear a casa, abra as janelas e aproveite a luz do dia o máximo que puder. Apague a luz em ambientes onde não há ninguém.

Leia também:
– Quase metade da matriz energética do Nordeste vem de fonte mais cara e poluente

Siga no twitter.
Curta no facebook.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: