Cresce a oferta de produtos de madeira certificada

III Feira do setor mostra que existem caminhos para uma Amazônia produtiva e sustentável

Muito além da madeira para construção, hoje são colares, instrumentos musicais e até embalagens de produtos alimentícios e cosméticos que chegam as prateleiras com o selo de garantia de origem da madeira a partir da qual foram produzidos.

A III Feira Brasil Certificado, que aconteceu em São Paulo, nos dias 16, 17 e 18 de abril, teve entre seus 36 expositores, grandes empresas produtoras de papel e celulose, da área da construção civil, fábricas de móveis, gráficas e diversas ONGs (organizações não governamentais).

Christian Ullman, organizador do estande da Mostra Brasil Certificado, esteve presente em todas as edições da feira e conta que houve uma grande evolução desde a primeira, em 2004. “No começo eram apenas móveis feitos com madeira certificada e de maneira artesanal disponíveis para os poucos que se dispusessem a pagar mais caro pelo privilégio”, conta Christian, “hoje caixas e embalagens de papel produzidas a partir da celulose da madeira certificada estão em qualquer supermercado”.

Grandes empresas como Suzano e a Klabin, produtoras de papel e celulose, fornecem embalagens certificadas para os produtos alimentícios da Sadia, associada do Akatu na Categoria Benemérito, e dos cosméticos da Natura, por exemplo. Foi graças a uma parceria entre as empresas Sadia, Klabin e as gráficas Ibratec, Brasilgráfica e Romiti, que foi lançada a primeira linha de alimentos congelados com embalagens certificadas. As embalagens de pratos prontos, pizzas, hambúrgueres, empanados, salgadinhos e toda a linha Miss Daisy da Sadia levam o selo FSC (leia box sobre o selo).

Catálogos

A oferta de produtos de madeira certificada já é tão ampla, que mereceu a confecção de dois catálogos de orientação ao consumidor, ambos lançados durante a feira. O primeiro é o Páginas Verdes – Guia de Compras de Produtos Certificados FSC, desenvolvido pelo FSC – Brasil, com patrocínio do Banco Real ABN AMRO, Parceiro Pioneiro do Akatu. O guia trata especificamente de madeira certificada e ajuda o consumidor final, assim como empresas do setor, a escolher produtos com base na certificação. Edições impressas são restritas, mas o Guia ficará disponível na página do FSC Brasil, no endereço www.fsc.org.br, em documento pdf.

O segundo catálogo é uma ferramenta on line desenvolvida pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade da Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas (GVces), com o apoio também do Banco Real ABN AMRO. O Catálogo de Produtos e Serviços Sustentáveis permite resgatar informações sobre uma gama maior de produtos e serviços que são considerados sustentáveis segundo critérios definidos pelo GVces. O catálogo pode ser consultado no link www.catalogosustentavel.com.br. Ambos os guias indicam fabricantes e comerciantes, dando endereços onde os consumidores podem adquirir os produtos apresentados.

Construção

Um setor que marcou presença na Feira foi o da construção civil. Esse é o caso da empresa Ouro Verde Madeiras que há 15 anos está instalada em Rio Branco, capital do Acre. Segundo Cristian Rau Stoltenberg, engenheiro florestal da empresa, toda matéria-prima utilizada para a fabricação de pisos, tacos e decks é originária de áreas de manejo florestal sustentável, “sendo que a maior parcela é certificada pelo FSC”, informa Cristian. A Ouro Verde acredita que chegará a ter 100% da madeira certificada até 2009. A maior parte dessa madeira é exportada para mais de 20 países localizados nos 5 continentes.

Outro caso no setor, é o da Precious Woods Brasil, grupo suíço que atua no país desde 1994. A empresa é especializada em arquitetura de interior, mobiliário para praças e jardins, pontes e construções em geral. Alexandre Rangel, gerente do departamento de negócios acredita que a tendência é de grande e constante crescimento da madeira certificada no setor. Hoje, “quase 100%” da madeira utilizada pela Precious Wood é certificada, segundo informa Jaiordeth Luzeiro, gerente de vendas. Atualmente a empresa exporta 70% da madeira certificada, mas a previsão de seus executivos é que em 2 ou 3 anos, o mercado interno consuma um percentual de 50%.

Crescimento

No Brasil, já são mais de 5 milhões de hectares de florestas certificadas pelo selo internacional FSC. O país possui o maior número de empreendimentos certificados na América Latina. De acordo com o diretor da Ong Amigos da Terra – Amazônia Brasileira, Roberto Smeraldi, hoje já são 1,2 milhão de pessoas empregadas na cadeia florestal de madeira certificada, no Brasil. Segundo os dados do FSC Brasil, atualmente 207 empresas possuem a certificação para a cadeia de produção e comercialização dos artigos de madeira (cadeia de custódia). Há três anos eram apenas 105 empresas certificadas. O FSC emite dois tipos de selo para os produtos, um que atesta que o material é 100% certificado, e outro, chamado selo misto, que garante que no mínimo 70% do material utilizado na fabricação tem o certificado.

Procurar conhecer a origem da madeira usada na fabricação dos mais diversos produtos, é fundamental para que o consumidor final ajude na preservação das áreas de florestas, especialmente da Amazônia. Segundo Adriano Trentin Fassini, Superintendente da Cooperfloresta, Cooperativa dos Produtores Florestais Comunitários, entidade que reúne 87 famílias de seringueiros acreanos envolvidos na produção de madeira certificada da Amazônia, “comprar madeira certificada é a garantia de que o manejo (das áreas de florestas) foi feito de modo correto”.

O que é  o selo FSC

O selo FSC, da sigla em inglês Forest Stewardship Council, traduzido como Conselho de Manejo Florestal, certifica áreas e produtos florestais em mais de 79 países. Entre 2004 e 2008, a área certificada pelo FSC mais do que dobrou, e passou de 40 milhões para cerca de 103 milhões de hectares de florestas certificadas e 6 mil certificações de cadeia de custódia ao redor do planeta. Roberto Waak, representante do FSC Internacional, em seu pronunciamento durante a abertura da III Feira Brasil certificado, declarou que a área internacionalmente certificada já representa cerca de 8% do total mundial de florestas.

A tendência indicada pelos números acima, revela que a certificação pelo FSC vem ganhando cada vez maior destaque no mundo, o que pode transformá-la em um importante pré-requisito para a compra de madeira. O selo já é exigido internacionalmente, notadamente em países da Europa Ocidental, mas também avança em outras regiões. Lisa Murphy, diretora do FSC Internacional, conta que a certificação vem ganhando uma nova dimensão nos Estados Unidos graças aos chamados green buildings ou construções verdes. Dentre os vários critérios que contemplam essas construções está a da origem da madeira.

O FSC utiliza 10 princípios, que determinam normas ambientais, sociais e econômicas que devem ser seguidas à risca para que ocorra a certificação Os procedimentos devem ser adotados tanto por produtores, responsáveis pelo Manejo Florestal, como ao longo da chamada cadeia de custódia, que inclui o processamento e a comercialização de produtos de madeira. Dessa forma, o processo de certificação permite conhecer e garantir a qualidade do produto desde a floresta até as “prateleiras”.

Se você quiser seguir o Akatu no twitter, clique aqui.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: