Consumo consciente ganha destaque na Base Nacional Comum Curricular

O Akatu enviou sugestões sobre a Base Nacional Comum Curricular ao Conselho Nacional de Educação, que foram aceitas na sua maioria.

Foto: oficina do Edukatu em escola municipal Raul de Leoni, em São Paulo – Crédito: Divulgação/Instituto Akatu

 

As recém definidas diretrizes que devem orientar os currículos escolares de escolas de Ensino Fundamental de todo o país preveem a presença de mais conteúdos sobre consumo consciente e sustentabilidade. O Instituto Akatu enviou sugestões ao Conselho Nacional de Educação (CNE), que foram aprovadas e inseridas na versão final da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), homologada em dezembro passado pelo Ministério da Educação (MEC). A BNCC é um documento previsto na Constituição de 1988 com o objetivo de organizar e determinar o conteúdo mínimo que deve ser ensinado em todas as escolas públicas e privadas do País.

Em 2017, o Akatu fez um estudo técnico da 3ª versão da Base e chegou à conclusão de que, embora o documento contivesse as temáticas relacionadas ao consumo consciente e à sustentabilidade em algumas áreas de conhecimento, elas estavam presentes de forma difusa. Era necessário que esses temas fossem abordados de forma mais específica nos currículos escolares. Por isso, o Akatu preparou uma série de sugestões com o objetivo de dar mais destaque a eles dentro das diretrizes propostas para o Ensino Fundamental (tanto nas competências gerais, quanto no ano a ano). As propostas foram enviadas ao Conselho Nacional de Educação (CNE) do MEC durante o processo de consulta pública e apresentadas em uma audiência pública em São Paulo, em agosto de 2017. A grande maioria das contribuições do Akatu foi incluída na versão final da BNCC, conforme pode ser visto abaixo. A versão final foi homologada em dezembro do mesmo ano.

Esta foi uma conquista muito importante para o Akatu, que vem trabalhando com essas temáticas nas escolas desde 2008, e, com maior alcance, desde 2013, quando foi criado o Edukatu – rede de aprendizagem sobre conceitos e práticas de consumo consciente e sustentabilidade para alunos e professores do Ensino Fundamental de todo o Brasil. Uma plataforma na internet, de acesso livre, contém conteúdos em formatos variados, tanto dirigidos a professores como aos alunos, separadamente para o Fundamental 1 e o Fundamental 2. Textos, infográficos, vídeos, jogos, planos de aula, percursos temáticos são oferecidos de maneira atrativa e de fácil utilização, tendo já sido utilizado por 3.000 escolas em todos os Estados brasileiros. Mais de 200 mil pessoas já foram impactadas por esse projeto, entre professores, alunos, familiares e demais integrantes das comunidades escolares.

O próximo desafio será colaborar com a implementação das novas diretrizes da BNCC junto aos planos pedagógicos das redes municipais, estaduais e particulares de ensino no País.

“Ter o consumo consciente e as diferentes questões relacionadas à sustentabilidade em destaque na BNCC é essencial para que essa preocupação esteja de fato presente no dia a dia das escolas de todo o país, facilitando a superação de eventuais desafios relacionados à abordagem interdisciplinar que o tema exige”, comenta Denise Conselheiro, Gerente da área de Educação do Instituto Akatu.

Principais contribuições do Akatu à BNCC

Crédito da foto: Luciana dos Santos Vilas Boas/Instituto Akatu

 

Uma das propostas mais importantes sugeridas pelo Akatu e acatadas na BNCC foi a inclusão da palavra “consumo consciente” em suas competências gerais, que são uma espécie de fio condutor de todo o documento. Mais precisamente, o termo foi incluído na sétima competência geral, com a redação: “argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo consciente em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta”.

Outra contribuição importante foi a inserção do tema nos dois primeiros anos do Ensino Fundamental. O texto inicial não expressava de maneira clara as possibilidades de abordagem de temáticas relacionadas ao consumo consciente e à sustentabilidade para essas séries. Para o primeiro ano, foi sugerido o acréscimo de texto (destacado em negrito) na área de Ciências: “comparar características de diferentes materiais presentes em objetos de uso cotidiano, discutindo sua origem, seu descarte, e como usá-los de forma mais consciente“. Já para o ano seguinte, a proposta de inserção temática foi relacionada com a área de Geografia, sobre mobilidade: “comparar diferentes meios de transporte e de comunicação, indicando o seu papel na conexão entre lugares, e discutir o seu uso mais consciente de modo a reduzir os riscos para a vida e para o meio”.

No Ensino Fundamental II, o Akatu também formulou propostasque vieram a ser acatadas. Para o sexto ano, por exemplo, a sugestão foi para a área de Matemática: “Interpretar e resolver situações que envolvam dados de pesquisas sobre contextos ambientais, sustentabilidade, consumo consciente, trânsito, entre outros, apresentadas pela mídia em tabelas e em diferentes tipos de gráficos e redigir textos escritos com o objetivo de sintetizar conclusões”. Já para o sétimo, oitavo e nono ano, a sugestão foi para a área de Ciências, abordando o consumo consciente e a produção sustentável como ações de combate às mudanças climáticas e ao aquecimento global.

Tal especificação da cobertura do consumo consciente na BNCC potencializa o uso do Akatu enormemente, levando à expectativa de que um número crescente de escolas fará uso sistemático e contínuo do Edukatu e de seus futuros desenvolvimentos.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: