Condomínios optam por medidores individuais de água

Demanda por hidrômetros é crescente, segundo empresas que fornecem sistemas de medição de consumo

Desde 2007, municípios brasileiros vem aprovando a lei que obriga a instalação de medidores individuais de água em condomínios novos. Hoje, a lei está em vigor em cidades como Belo Horizonte, Porto Alegre e São Paulo. A medida gera, em média, uma economia de mais de 40% na fatura de água de cada residência ao final do mês, segundo Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (Aabic).

Essa avaliação é possível, principalmente, devido à comparação de gastos com água em condomínios construídos com medidores coletivos e que, posteriormente, optaram pela instalação do sistema de medição individual. Em geral, essa mudança também é garantida pela mesma lei, mas nesses casos, a maioria dos condôminos têm de estar em comum acordo para fazer a adaptação.

E tem havido acordos. Segundo o engenheiro Eliezer Teitelbaum, da Aguacontrol, empresa situada na cidade de Porto Alegre e oferece soluções para a individualização e o gerenciamento do consumo de água e gás em condomínios “a demanda pelo sistema tem sido de três a cinco solicitações por semana e sempre de forma crescente”.

Washigton Rodrigues, gerente geral de condomínios da Apsa, empresa de gestão condominial presente em vários Estados do país, “há uma demanda crescente”. Mas ressalta que o volume ainda é muito pequeno, pois “as instalações hidráulicas dos prédios mais antigos dificultam a implantação do sistema de individualização da medição, o que torna mais caro o custo da instalação”.

Quando “dói” no bolso, consumo é mais consciente
De acordo com a Aabic, os gastos com o consumo coletivo de água representam um percentual que varia de 10% a 14% da totalidade dos custos condominiais, o que equivale a um valor absoluto de R$ 1.000,00 a R$ 4.000,00, em média.

Já os gastos individuais de uma família padrão, com quatro pessoas consumindo água, representa um consumo da ordem de 15 mil litros de água por mês, uma despesa mensal de pouco mais de R$ 40,00. Em casos daqueles que moram sozinhos, pagariam algo em torno de R$ 10,00.

“De forma geral, os consumidores tendem a ter posturas de consumo mais consciente quando conseguem mensurar e visualizar o desperdício gerado em forma de despesa”, comenta Ricardo Oliani, coordenador de Mobilização Comunitária do Instituto Akatu.

Foi em busca dessa consciência de consumo que o ex-síndico de um prédio de 85 apartamentos, localizado na região central da capital paulista, Gianfranco Pampalon, 51 anos, convenceu os moradores a migrarem para o sistema de medição individual e hoje comemora os resultados. Ele divide o apartamento apenas com sua esposa e achava “puxado” os R$ 95,00 mensais que pagava, em média, pela água.

“Não foi tarefa fácil, principalmente devido aos custos de instalação do sistema”, conta Pampalon. “Mas hoje, há uma economia de 20% a 30% do volume total de água por mês”. Segundo Pampalon, o elevado custo de instalação do sistema foi compensado ao fim de três anos.

Dos R$ 95,00 que os moradores do prédio pagavam em média, hoje, após a instalação do sistema de medidores individuais, o custo caiu para menos de R$, 50,00, valor que inclui o consumo de gás para água aquecida.

“Todos tivemos uma economia em torno de 50% por mês com a conta da água, mas eu lembro que nos primeiros meses após a instalação do sistema individual, teve gente que pagou cerca de R$ 300,00, provavelmente por causa de vazamentos”, revela Pampalon.

“Sempre que o consumidor notar uma variação considerável na conta de água, deve procurar saber se não há problema de vazamento. Aliás, esse é um dos grandes benefícios da medição individual”, alerta Ricardo Oliani, coordenador de Mobilização Comunitária do Instituto Akatu.

“Vários moradores fizeram uma revisão de seus sistemas hidráulicos e muitos vazamentos foram detectados”, lembra o ex-sindico. “O mais interessante é que ninguém tinha essa preocupação antes da fatura ser individual”, completa.

Abaixo, veja algumas dicas de consumo consciente de água que podem ajudar você a economizar esse precioso recurso, que ao contrário do que se pensa, é finito:

1. Combatendo o desperdício no banheiro
Se metade da população de uma cidade de 100 mil habitantes reduzir o tempo do banho diário de ducha de 15 para 5 minutos, a água economizada ao longo de um ano seria suficiente para abastecer todas as necessidades de água de todos os habitantes dessa cidade por mais de 7 meses e meio. Com isso, não seria necessário o governo investir em mais estações de tratamento de água.

Dica Consciente: Reduza o seu tempo de banho e ajude a economizar dinheiro público que seria gasto no tratamento e distribuição de água, e torna possível investir, por exemplo, em educação, tão necessária para a população brasileira.

2. Torneira fechada, dentes limpos
Se as 1,5 milhões de pessoas de Recife resolvesse passar a escovar os dentes 3 vezes por dia com a torneira fechada, a água economizada em apenas dois dias seria suficiente para abastecer por 1 dia todas as necessidades de água de quase todos os 397 mil habitantes de Florianópolis.

Dica Consciente: Converse com amigos e familiares para sensibilizá-los para essa mudança tão simples nos hábitos de consumo: manter a torneira fechada na hora de escovar os dentes.

3. Louça lavada com economia
Ao usar uma bacia cheia d’água, ou a própria pia, para ensaboar a louça e abrir a torneira somente para o enxágüe, você pode reduzir o tempo de uso de água de 15 para 5 minutos. Se apenas cinco famílias adotarem essa forma de lavagem de louça três vezes por dia por vinte anos, se pouparia 17,5 milhões de litros de água, o suficiente para suprir todas as necessidades de água de 5 pessoas durante toda a vida.

Dica Consciente: Mudanças simples nos hábitos cotidianos de consumo têm um impacto enorme, contribuindo para que um recurso natural tão precioso como a água possa chegar a todos. Hoje, são mais de 20 milhões de brasileiros sem acesso à água tratada.

4. Aposente a mangueira na hora de lavar a calçada
Uma máquina de lavar roupas, com capacidade para 5 quilos, usa 135 litros de água por lavagem. Se uma família usar a máquina de lavar duas vezes por semana, gastará 270 litros de água. Parte desse total, ao sair do enxágüe, pode ser usada em outros pontos da casa que não precisam de água totalmente limpa.

Dica consciente: Ao invés de usar a mangueira, reutilize a água que sai do enxágüe da máquina de lavar para limpar a calçada de sua casa. Se você fizer isso uma vez por semana, economizará mais de 14 mil litros de água por ano, o equivalente a um e meio caminhão pipa cheia de água.

5. Vazamentos surpreendem
Um buraco de 2 mm em um cano de uma única residência desperdiça 3.200 litros de água por dia. Se 3,5 milhões de domicílios tiverem um vazamento como esse, em 14 horas desperdiçariam água suficiente para encher os 6,5 bilhões de litros da Lagoa Rodrigo de Freitas no Rio de Janeiro.

Dica Consciente: Com certeza, você não imaginou que um pequeno vazamento pudesse ter tanto impacto. Procure um profissional para verificar se há vazamentos em sua residência, desta forma contribuindo para haver mais água disponível sem nenhum custo adicional para a sociedade e com economia para você.

Se você quiser seguir o Akatu no Twitter, clique aqui

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: