Como impactar menos o meio ambiente na hora de adquirir roupas?

Qual tipo de roupa é a mais ecológica? Veja aqui algumas dicas na hora de comprar uma peça nova

Crédito: Creative commons/y-a-n

 

Comentário Akatu: É preciso inovar nos padrões de produção e de consumo para que seja possível alcançar o bem-estar desejado pela sociedade com um uso muito menor de recursos naturais –  como água, energia, solo etc – que são utilizados na fabricação de roupas. Hoje, já consumimos e descartamos 50% mais recursos naturais renováveis do que o planeta é capaz de regenerar e absorver. Necessitamos, ao mesmo tempo, de uma produção mais responsável e de um consumo mais consciente. Os consumidores podem colaborar por meio de mudanças em suas práticas cotidianas. Este novo comportamento e esta nova consciência são primordiais para reduzir os impactos negativos e as consequências ruins para suas vidas e para todo o planeta.

 

Você já se perguntou qual o tipo de roupa mais amigável ao meio ambiente? Por exemplo, roupas de algodão orgânico, roupas de bambu, as feitas de materiais reciclados ou as usadas? Na verdade, não podemos afirmar qual dessas opções é a mais ecológica, pois a melhor roupa é aquela que você não compra.

Convenhamos que as roupas permitem que nós nos expressemos, sejamos nós mesmos; isso é divertido e não há nada de errado nisso. O problema está na quantidade de roupas que temos. Estamos cada vez mais imersos em um consumismo excessivo e, principalmente na época após as festas de final de ano (quem dirá a loucura que é a Black Friday em novembro), é interessante pensar se realmente precisamos de todas aquelas camisetas ocupando espaço no armário. É possível estar satisfeito com a quantidade de peças que temos sem transbordar as gavetas.

Todas as roupas têm um impacto no meio ambiente, pois a produção têxtil requer toneladas de água, geralmente utiliza tratamentos químicos nocivos, e faz uso de muita energia. O algodão orgânico pode não ter o banho de pesticida que o algodão convencional tem, mas aquela “camiseta verde” provavelmente passou por uma safra muito intensa de água.

Roupas recicladas são vantajosas na questão da reutilização de matérias-primas, mas algumas delas (como as de poliéster) não escapam do uso do petróleo. O bambu orgânico pode ser muito “verde” considerando o lado agrícola, mas ele requer um extenso tratamento químico.

Além de não comprar nada, a próxima melhor atitude é comprar roupas de segunda mão. Uma jaqueta vintage ou um short retrô já tiveram seu impacto no meio ambiente, então trazê-los de volta à sua coleção é um brinde para a sustentabilidade.

Quando quiser comprar algumas peças novas, siga as dicas a seguir:

• Procure a melhor combinação entre local da loja, o comércio justo e veja se as roupas são de material orgânico ou se são recicladas. Não será possível encontrar peças que preencham todos esses quesitos, mas é bacana dar uma procurada para tentar encontrar o máximo deles em uma só peça.

• Prefira o clássico do que a moda. Roupas básicas e estilosas podem ser combinadas de várias maneiras e até mesmo acompanhar as mais loucas tendências. É difícil de se arrepender de ter comprado uma camisa social, por exemplo (mas não podemos dizer o mesmo de calças coloridas).

• Invista em roupas de qualidade. Elas podem ser mais caras em curto prazo, mas provavelmente durarão mais do que itens baratos e descartáveis.

• Para cada novo item que você comprar, considere doar pelo menos um item mais antigo. Além de estar ajudando alguém, essa atitude irá abrir espaço no seu guarda-roupas, sem precisar aglomerar roupas que você não precisa mais.

*Texto publicado originalmente no site Ecycle.

 

Leia mais:

Seis peças de roupas para usar durante um mês. Você consegue?

Guarda-roupa sustentável no verão

Você é um consumidor consciente? Faça o teste do Akatu

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: