Coca-cola, Ambev e PepsicCo suspendem venda de refrigerante a escolas para crianças até 12 anos

A política valerá para as cantinas que compram diretamente das fabricantes e de seus distribuidores

 Foto: Empresas reconhecem que crianças menores de 12 anos não têm maturidade para tomar escolhas de consumo – Crédito: Creative Commons/Valeri Pizhanski

 

A partir de agosto, a Coca-Cola Brasil, a Ambev e a PepsiCo Brasil deixarão de vender refrigerante a escolas para crianças até 12 anos (ou com maioria de crianças de até essa idade). Serão vendidos apenas água mineral, suco de 100% de fruta, água de coco e bebidas lácteas que atendam a critérios nutricionais específicos.

“A obesidade é um problema complexo, causado por muitos fatores, e as empresas de bebidas reconhecem seu papel de ser parte da solução”, declaram as empresas em comunicado oficial. “No momento do recreio, os alunos têm acesso às cantinas escolares sem a orientação e a companhia de pais e responsáveis, e crianças abaixo de 12 anos ainda não têm maturidade suficiente para tomar decisões de consumo. Coca-Cola Brasil, Ambev e PepsiCo Brasil entendem que devem auxiliar os pais ou responsáveis a moldar um ambiente em escolas que facilite escolhas mais adequadas para crianças em idade escolar, assim como estimular a hidratação e a nutrição, contribuindo para uma alimentação mais equilibrada.”

A política valerá para as cantinas que compram diretamente das fabricantes e de seus distribuidores. Para as cantinas que se abastecem em outros pontos de venda (supermercados, redes de atacados e adegas, por exemplo), haverá uma ação de sensibilização desses comerciantes por meio da qual todos serão convidados a se unir à iniciativa.

As três companhias afirmam que também estão trabalhando com a ABIR (Associação Brasileira da Indústria de Refrigerantes e Bebidas Não Alcoólicas) para que essas diretrizes de venda de bebidas a escolas sejam um compromisso de todo o setor.

Leia mais:

Relatório Global de Nutrição: 44% dos países têm níveis alarmantes de desnutrição ou obesidade

 

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: