Coalizão global de empresas cobra do G20 ação acelerada sobre o clima

Em documento assinado por 55 grandes companhias, são exigidas dos países mais ricos do mundo medidas concretas de longo prazo para acelerar a descarbonização global

Crédito: Creative commons/Pixabay

 

Uma coalizão formada por 55 empresas globais – de todos os continentes e de diversos segmentos – está cobrando do G20 (que engloba os 20 países mais industrializados do mundo) ações aceleradas sobre o combate às mudanças climáticas. Entre as companhias que fazem parte dessa aliança estão a Natura, A Adidas e a Unilever.

As empresas participantes da coalizão assinaram uma declaração conjunta sugerindo, principalmente aos países do G20 – que representam 74% das emissões globais de gases de efeito estufa – medidas concretas de longo prazo para acelerar a descarbonização global. A aliança sugere a eliminação progressiva dos subsídios para os combustíveis fósseis até 2025, preço adequado para o carbono e clareza sobre os riscos financeiros relacionados ao clima.

No documento, as empresas exigem ainda condições de atuação que lancem as bases para um caminho que limite o aumento da temperatura global em bem menos do que 2°C e permita-lhes contribuir ativamente para a implementação do Acordo de Paris, assinado em 12 de dezembro de 2015. A aliança argumenta que um desenvolvimento com baixo teor de carbono assegurará empregos e prosperidade, iniciando uma nova onda de inovação e empreendedorismo. As empresas da coalizão representam mais de 1,9 milhão de funcionários em todo o mundo e receita total de mais de 676 bilhões de euros.

As empresas reafirmam na declaração o compromisso de abordar proativamente as mudanças climáticas em suas próprias atividades e políticas e levar em consideração diretrizes que apoiem ações sobre o clima em nível comercial, como precificação interna do carbono, a implementação de Forças-Tarefa sobre Divulgações Financeiras Relacionadas ao Clima (TCFD, na sigla em inglês) em seus próprios relatórios, bem como implementação de metas a partir de indicadores científicos.

As companhias signatárias da declaração são Acciona, Adidas, AIDA Cruises, Allianz, Arcadis, Innovations Avant Garde, Bausparkasse Schwäbisch Hall, Capricorn Investment Group, DAIKIN Ar condicionado Alemanha, Deutsche ROCKWOOL, Diageo, DSM, Econet Group, Energetica, EPSON Europa, Fórmula E, Gegenbauer Holding, Groupe ADP, H & M, Hangzhou Minsheng Pharm, Grupo IBA, IBERDROLA, Interface, Jiahe Agricultural Stockbreeding, Kering, LafargeHolcim, LeasePlan, Marks & Spencer, MICHELIN, Natura Cosméticos, Grupo Otto, Outokumpu, Philips, Philip Morris International, PUMA, Qingdao Double Whale Pharmaceutical, RTE, Saint-Gobain, Salesforce, Schneider Electric, Schüco International, Shandong Zhongcheng Feed Technology, Shenzhen Ausa Pharmed, Simble Solutions Ltd, Solvay, South Pole Group, Sun Daily Farm, UC Rusal, Unilever, Venture Garden Group, Virgin Group, Woolworths, Wuhan Dangdai Ciência e Tecnologia Indústrias, Yukou Poultry.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: