Ciclocidade lança a campanha Adote uma Ponte, em São Paulo

Ação tem o objetivo de mobilizar o poder público e a população sobre os problemas de travessia de pedestres e ciclistas nas pontes e viadutos de SP

Crédito: Divulgação /Clclocidade

 

Comentário Akatu: a cultura da mobilidade individual e o uso excessivo de automóveis pioram a qualidade de vida da população, especialmente nas grandes cidades, além de serem os principais responsáveis pela poluição do ar e pelo aquecimento global, fonte de poluição sonora e de desperdício de tempo em congestionamentos. Mas modalidades alternativas de transporte, como a bicicleta, começam a representar parcela importante dos deslocamentos urbanos, e, por isso devem ser mais valorizadas. Para isso, é importante que a cidade tenha espaços públicos adaptados, como mostra a reportagem abaixo, sobre a campanha Adote uma Ponte. Priorizar essas modalidades é uma contribuição importante para alcançar uma solução realmente sustentável e de longo prazo.

 

A Ciclocidade – Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo lançou hoje a campanha Adote uma Ponte. A iniciativa é para marcar o Dia Mundial sem Carro e a Semana da Mobilidade. A ideia é  sensibilizar as autoridades e a opinião pública sobre os riscos que milhares de pessoas correm todos os dias ao cruzar as pontes da capital paulista a pé, de bike, cadeiras de rodas ou com carrinhos de transporte de carga. “Nas pontes das marginais Tietê e Pinheiros, por exemplo, não há vias específicas para pedalar e há dificuldade de acesso para os pedestres”, afirma Gabriel Di Pierro, diretor da Ciclocidade.

A campanha  pretende estimular a melhoria urbana integral das pontes, incluindo a manutenção de calçadas, iluminação pública e paisagismo, além da sinalização, de forma a estimular as pessoas a utilizarem mais essas travessias.

Como participar? É fácil! Basta acessar o site da campanha navegar no mapa interativo e escolher uma ponte ou viaduto, fazendo o seu registro. Ao se tornar colaborador, o voluntário poderá enviar informações sobre as dificuldades que enfrenta em relação a estrutura existente. Valem fotos, vídeos, relatos ou dados sobre o uso e situação da ponte. “Vamos reunir todas essas informações em um documento, que será entregue às autoridades, especialmente à Prefeitura de São Paulo, pedindo que sejam desenvolvidas ações para a superação dos problemas encontrados”, explica Pierro.

As pessoas que aderirem à campanha também poderão utilizar as ferramentas de mobilização disponíveis no site da Ciclocidade, como panfletos, stêncil para produzir sinalização alternativa, lambe-lambes com mensagens da campanha e, ainda, postagens para compartilhar nas redes sociais.

 

Saiba mais:

Pesquisa mostra que paulistanos apoiam as faixas de ônibus e as ciclovias

Ciclovia de 70 mil quilômetros ligará 43 países europeus até 2020

Virada da Mobilidade 2014: estímulo ao transporte urbano alternativo

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: