China torna-se o maior país produtor de energia eólica do mundo

Os chineses construíram quase metade de todas as novas turbinas instaladas no mundo em 2015, de acordo com o Conselho de Energia Eólica (GWEC)

Produção de energia eólica na China. Crédito: Creative commons/Day Donaldson

 

A China tornou-se o maior produtor mundial de energia eólica. No ano passado, sua produção cresceu 27%. Nesse período, o país construiu quase a metade de todas as novas turbinas instaladas no mundo todo, segundo o Conselho mundial de Energia Eólica (GWEC). O país acrescentou em sua produção cerca de 30.500 megawatts (MW), gerando, no total, 145.100 MW. Ultrapassou a produção da União Europeia, líder tradicional no setor.

O rápido aumento da produção de energia renovável na China se deve ao combate à poluição atmosférica e às alterações climáticas. Os custos tendem a cair cada vez mais, tornando-se um tecnologia competitiva em relação aos combustíveis fósseis.

“2015 foi um grande ano para os grandes mercados – China, Estados Unidos, Alemanha e Brasil –  que estabeleceram novos recordes”, disse Steve Sawyer, secretário-geral do GWEC, em entrevista ao site Climate Change News. “Mas há muita ações em novos mercados ao redor do mundo e eu acho que, em 2016, veremos uma distribuição mais ampla.”

O Instituto Akatu entende que já estamos vivendo uma fase gradual de substituição de energias fósseis por renováveis, como é o caso da China. Para essa transição, e depois dela, é cada vez mais importante o papel do consumidor. Consumir energia de forma consciente é optar por fontes mais sustentáveis já existentes e demandar do mercado soluções de qualidade e em quantidade adequadas, além de utilizar o necessário para garantir bem-estar, sem desperdício. Apoiar o desenvolvimento de fontes renováveis de energia e à educação para o consumo consciente também são formas de contribuir para um futuro mais sustentável.

 

Leia mais:

Investimentos em energias limpas bateram recorde mundial em 2015

Observatório do Clima defende investimentos em fontes renováveis de energia

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: