Canudos plásticos são proibidos em estabelecimentos
 comerciais no estado de São Paulo

Nova lei determina que esses itens sejam confeccionados em papel reciclado, material comestível ou biodegradável

Os canudinhos de plástico estão proibidos em estabelecimentos comerciais de todo o estado de São Paulo. No dia 13 de julho, o Governador João Dória sancionou um projeto de lei que veda a distribuição desses artefatos em hotéis, bares, restaurantes, padarias, clubes, entre outros lugares que vendem bebidas. Esses itens deverão ser confeccionados em papel reciclado, material comestível ou biodegradável.

A lei estipula multa para quem descumpri-la, com valor aproximado de R$ 5.300, que será dobrado em caso de reincidência.  A fiscalização será definida por meio de regulamentação e os valores arrecadados com as multas serão destinados a programas ambientais. Mas ainda não há um prazo oficial para que a lei seja regulamentada.

O objetivo dessa iniciativa é conscientizar a população sobre materiais alternativos ao plástico de uso único, que é um grande poluidor ambiental. A maioria deles é feita de polipropileno e poliestireno – substâncias que não são biodegradáveis e que, por isso, demoram séculos para se decompor na natureza. Elas se acumulam em aterros, lixões e nos mares, onde podem ser ingeridas por animais, que fatalmente morrerão intoxicados.

Outras localidades brasileiras já sancionaram leis de proibição dos canudos e de outros plásticos descartáveis, como as cidades de São Paulo, Santos (SP), Ilhabela (SP), Camboriú (SC), Rio Grande (RS), Rio de Janeiro |(RJ), o Distrito Federal, e os estados do Maranhão e do Rio Grande do Norte. Apesar dessas iniciativas, o consumo desses pequenos artefatos ainda é grande no país. Só para se ter uma ideia, se forem empilhados os canudos consumidos por brasileiros em um ano em um muro de 2,10 metros de altura, seria possível dar uma volta completa na Terra, numa linha de mais de 45.000 quilômetros.

Vamos nos engajar nessa causa?

Enquanto não há uma lei específica na sua cidade, que tal começarmos a mudar, a partir de agora, nossos hábitos de consumo, deixando de lado os canudos de plástico? O canudinho é de uso único, por isso, totalmente desnecessário. E traz custos para o consumidor, para o meio ambiente e para a sociedade.

Os custos começam com a produção, que retira recursos do meio ambiente, gasta energia, trabalho. Mesmo que haja um pequeno ganho financeiro com a reciclagem, é muito menor que o que foi empenhado na produção de um produto de vida curta. Poucas horas depois de ser usado, o canudo vai para o lixo. Vale lembrar que tudo que é descartado gera também custo de separação, empacotamento, transporte e disposição final.

Dispense o canudinho de plástico ou escolha opções mais sustentáveis, como os feitos com papel reciclado, material comestível ou biodegradável, bambu, palha, vidro. Seja um consumidor consciente!

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: