Campanha “Quero compartilhar” prioriza consumo de experiências

No Dia do Consumidor (15/3), o Instituto Akatu chama atenção para as vantagens dos serviços de compartilhamento de roupas, de carros e de casas para se hospedar, entre tantos outros, que permitem diminuir impactos negativos na sociedade e no meio ambiente

Para estar bem vestido, você não precisa necessariamente comprar roupas novas. Assim como não precisa ter um carro para se deslocar pela cidade. Aliás, tem muita coisa que você pode deixar de comprar, pois alguém estará disposto a compartilhar com você – a troco de dinheiro ou não. Na era da Economia Colaborativa, o verbo não é mais “possuir”, mas “usufruir” – entram em cena serviços como assinatura de roupas e aluguel de carros elétricos, além de plataformas de compartilhamento de casas para se hospedar, veículos, entre outros.

A produção e o consumo de produtos têm impactos no meio ambiente e na sociedade, pois usa recursos naturais, energia, gera resíduos e exige trabalho humano. Por isso, no Dia do Consumidor (15/3), o Instituto Akatu lança a campanha “Quero Compartilhar”, que convida a população a priorizar o consumo de serviços que valorizem o compartilhamento de bens, em vez de sua aquisição.

Foi no Dia do Consumidor, em 2001, que nasceu o Instituto Akatu, há 16 anos dedicado a promover a sensibilização e mobilização da sociedade para o consumo consciente. Para que haja o suficiente, para todos e para sempre, um dos caminhos é valorizar o compartilhado, mais que o individual. Ao compartilhar, expandimos ao máximo a capacidade de uso de um produto, assim aproveitamos o que está ocioso, atendemos a necessidade de mais pessoas, evitamos a extração de recursos naturais para a produção de novos itens e os resíduos gerados pelo seu descarte.

Ao compartilhar, expandimos ao máximo a capacidade de uso de um produto, assim aproveitamos o que está ocioso, atendemos a necessidade de mais pessoas, evitamos a extração de recursos naturais para a produção de novos itens e os resíduos gerados pelo seu descarte.

QUERO COMPARTILHAR EXPERIÊNCIAS, não acumular coisas

A maturidade e a popularização de tecnologias como dispositivos móveis com acesso à internet, aplicativos, serviços de pagamento e redes sociais, possibilitaram o surgimento de vários serviços de compartilhamento. Roupas, carros e casas podem ser usados por pessoas diferentes, que vão dividir seus custos e usufruir de seus benefícios. Para dar uma ideia da variedade disponível, mostramos, a seguir, exemplos de alguns serviços que estão sendo oferecidos no Brasil *

QUERO ME VESTIR BEM, mesmo sem comprar roupa nova

Você costuma dar vida longa às suas roupas? Usa sempre tudo o que compra? Ou várias peças ficam penduradas meses no guarda-roupa com a etiqueta? Comprá-las em excesso é puro desperdício de recursos. Todas as roupas têm um impacto no meio ambiente, pois a produção têxtil requer uso do solo no cultivo de algodão, água, energia elétrica, além de tratamentos químicos nocivos, sem contar o trabalho humano em si e os gastos com a logística. Mas nem por isso você precisa andar mal vestido. Dá para alugar, compartilhar, doar, trocar ou emprestar roupas e acessórios. Atualmente, há novas modalidades de serviços que permitem que várias pessoas compartilhem a mesma peça de roupa, conheça a seguir.

My Open Closet
O que é: rede de compartilhamento de vestidos de festa para aluguel
Como funciona: qualquer pessoa pode se inscrever e ganhar um dinheirinho com o aluguel da sua peça ou escolher a roupa que quer usar em uma festa.

Blimo – Biblioteca de Moda
O que é: serviço de assinatura de roupas.
Como funciona: o cliente assina um plano mensal e pode pegar emprestada qualquer roupa disponível na loja por até 10 dias. É possível retirar roupas todos os dias, contanto que a anterior seja devolvida.

Roupateca
O que é: serviço de assinatura de roupas.
Como funciona: o cliente assina um plano mensal e pode pegar emprestada qualquer roupa disponível na loja por até 10 dias. É possível retirar roupas todos os dias, contanto que a anterior seja devolvida.

Armário Compartilhado
O que é: rede de compartilhamento de vestidos de festa para aluguel
Como funciona: qualquer pessoa pode compartilhar seus vestidos para aluguel. Quando alugados, eles são revertidos em pontos que podem ser usados em aluguéis de outros vestidos.

Wardrobe
O que é: plataforma que conecta pessoas que queiram alugar ou oferecer para locação suas roupas ou acessórios
Como funciona: o dono do produto que publica o anúncio no site, com fotos, indicações do tamanho e outros detalhes.

QUERO ME LOCOMOVER, mesmo sem ter um carro

Pagar imposto, combustível, estacionamento, seguro e outros custos de manutenção. Ter um carro pode ser prático, mas tem um custo alto, além do forte impacto no meio ambiente e, consequentemente, em nós mesmos. Por isso, quando ele for indispensável, é interessante dividir esses gastos e diluir os impactos negativos. Isso já é possível em algumas cidades com os serviços de compartilhamento de carros (ou caronas), o chamado carsharing.

As bicicletas também têm sido compartilhadas em diversas cidades brasileiras. Quem adere a essa forma de transporte e serviço consegue dois benefícios: não emite gases de efeito estufa, por não usar combustível, e dilui com outros usuários o impacto da produção do veículo em si.

Esse tipo de serviço valoriza o compartilhamento de produtos, mais que o uso individual, expande ao máximo a capacidade de uso de um produto e atende às necessidades de mais pessoas. Valoriza o uso do produto e não a sua posse. Os consumidores se conscientizam sobre a real necessidade de comprar um veículo e podem passar a fazer essa escolha somente nos momentos necessários ou em outra fase da vida.

Veja a seguir alguns serviços de compartilhamento de carros e bicicletas:

Parpe
O que é: serviço que conecta pessoas que querem alugar carros ou oferecer carros para locação.
Como funciona: o dono do veículo faz o cadastro de seu carro pelo site ou pelo aplicativo, com o poder de decidir quem vai alugá-lo. Quem estiver interessado em alugar um veículo faz uma busca na ferramenta, reserva o veículo e pode até receber o carro no local de preferência.

Pegcar
O que é: serviço que conecta pessoas que querem alugar carros ou oferecer carros para locação.
Como funciona: o dono do carro registra seu carro na plataforma, indicando as características e definindo o preço do aluguel. O veículo precisa seguir alguns critérios para ser aceito, assim como os motoristas com interesse de alugar o carro.

Vamo Fortaleza
O que é: sistemas de compartilhamento de carros elétricos.
Como funciona: o carro é retirado e entregue em uma das estações do sistema na cidade. Por meio de um aplicativo, é feito o pagamento do aluguel e a liberação do veículo.

Zazcar
O que é: aluguel de carros por hora.
Como funciona: pelo aplicativo, é possível solicitar um carro que esteja próximo de sua localização.

E-moving
O que é: aluguel de bicicletas elétricas para pessoas físicas ou jurídicas.

Bike na porta
O que é: o cliente solicita a bicicleta para aluguel por dia, que entregue e retirada no local definido.

Mobilidade
O que é: sistema de aluguel de bicicletas presentes em 21 cidades em todas as regiões brasileiras. A liberação de bicicletas e o pagamento são feitos pelo celular. Estações de retirada estão espalhadas pelas cidades participantes.

QUERO ME HOSPEDAR BEM, mesmo sem ter uma casa na praia ou no campo

O tradicional aluguel de casas de temporadas ganhou impulso com as novas tecnologias. Plataformas online facilitaram a tarefa de oferecer os imóveis, assim como de realizar buscas precisas com ferramentas de uso fácil, considerando diversos parâmetros como localização, preço e detalhes da propriedade.

Além disso, estes serviços têm sistemas de reputação dos anunciantes e dos locatários, que oferecem mais segurança aos envolvidos. Isso significa menos intermediários na transação, mais praticidade, pois valoriza o uso de um bem e não a sua posse. Então, faz sentido construir mais uma casa de praia ou de campo (que tem um forte impacto no meio ambiente e na sociedade) se você pode ter à disposição tantas outras pelo mundo? Veja a seguir, plataformas que ajudam você a anunciar ou alugar uma casa por temporada.

Airbnb
O que é: serviço online que permite anunciar, descobrir e reservar uma propriedade ou apenas alguns cômodos por temporada.
Como funciona: A negociação do aluguel é feita diretamente entre o proprietário e locador.  Anfitriões e inquilinos têm seus perfis na rede, onde são avaliados.

Alugue Temporada
O que é: plataforma online que conecta pessoas que querem oferecer o seu imóvel para aluguel por temporada e aquelas que querem alugar.
Como funciona: o dono do imóvel paga para publicar um anúncio do seu imóvel na plataforma. A negociação é feita diretamente entre o dono do imóvel e o locatário. Um sistema de avaliação ajuda a consultar a reputação tanto do proprietário do imóvel como de quem quer alugar.

Couch Surfing
O que é: plataforma que permite aos donos de imóveis abrir sua casa para a acomodação de viajantes
Como funciona: dono da casa abre um perfil e aguarda o contato de interessados. Um sistema de avaliação permite consultar a reputação dos cadastrados.

Easy Quarto
O que é: site para oferecer e alugar quartos e kitnets.
Como funciona: o site permite fazer anúncios gratuitos, mas com restrição de recursos. Quem paga a conta premium tem alguns privilégios, como destaque nos anúncios. A busca por quartos e kitnets é gratuita.

*(O Instituto Akatu não se responsabiliza pelos serviços listados acima, que são apenas exemplos de compartilhamento de bens)

Leia mais:

10 Caminhos para a Produção e o Consumo Conscientes

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: