Brasil terá primeira termelétrica a capim do planeta

A nova usina deve entrar em operação no final do ano que vem, gerando energia limpa e renovável, que poderá ser trocada por créditos de carbono

A partir de dezembro do próximo ano, o município de São Desidério, na Bahia (a 869 km a oeste de Salvador, na divisa com Goiás e Tocantins), será o primeiro do planeta a gerar energia elétrica a partir de capim.

As empresas brasileiras Sykué Bioenergya e Dedini assinaram, no dia 18 de julho, contrato para a instalação de uma usina termelétrica que vai gerar 30 MW, usando como combustível a biomassa do capim elefante. A maior parte das termelétricas movidas a biomassa (material orgânico cultivado) no Brasil usa bagaço da cana.

Com investimento de R$ 80 milhões, o projeto prevê início das operações em 16 meses. “É um capim semelhante ao napiê que é usado geralmente para alimentar o gado. É uma energia renovável, limpa e barata”, disse o superintendente da Divisão de Energia da Dedini, Jayme Schutz.
O capim elefante será plantado em uma área de 4.000 hectares, segundo a empresa. O projeto será capaz de gerar 1 milhão de toneladas anuais em créditos de carbono. Isso equivale a 47 dias de emissão de todo o trânsito da cidade de São Paulo, de acordo com dados da prefeitura.

A energia dessa primeira usina será vendida, obedecendo à regulamentação da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), entre os consumidores livres do país através da rede nacional. Funciona de maneira semelhante a um banco: a Sykué “deposita” a energia gerada na Bahia na rede nacional e “saca” energia em qualquer parte do Brasil para abastecer um cliente. Segundo a empresa, um dos compradores será o Grupo Pão de Açúcar.

Se você quiser seguir o Akatu no Twitter, clique aqui.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: