Ação demonstra o verdadeiro sentido da expressão “o barato que sai caro”

Vending machine que oferta camisetas baratas mostra o trabalho aviltante que de quem produziu o produto

Foto: vending machine em praça em Berlim, na Alemanha, usada na ação de combate ao trabalho escravo – Crédito: Divulgação

 

Pesquisar e buscar produtos mais baratos são práticas normais, até porque sempre é prudente economizar, ainda mais em tempos de crise. Mas e quando determinada peça é vendida por um preço muito mais baixo do que o normal? Sabe aquela expressão “o barato que sai caro”? Pois é.

Uma vending machine instalada na Alexanderplatz, a principal praça de Berlim, na Alemanha, ofertava camisetas a um preço de 2 euros. Baratas, as peças atraíram muitos compradores que, ao selecionarem o tamanho, encaravam a verdade que estava por trás da pechincha: uma fábrica de roupas em Bangladesh que paga mulheres e crianças cerca de 13 centavos por hora para costurarem camisetas em um ambiente hostil.

Depois da exibição do vídeo, a vending machine questionava se a pessoa queria pagar os 2 euros pela camiseta ou se aceitava doar o valor para um fundo de combate ao trabalho escravo. Segundo a Fashion Revolution, responsável pela ação, 90% das pessoas aceitaram fazer a doação.

[Assista ao vídeo da vending-machine da Fashion Revolution]

Texto publicado originalmente no site EcoD

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: