Abras vai reduzir em 40% o uso de sacolas plásticas até 2015

Associação destaca importância da colaboração do consumidor para o sucesso do plano; entre 2007 e 2010, houve redução de 22% no uso das embalagens

 

A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) anunciou este mês que vai reduzir em 30% o uso de sacolas plásticas descartáveis nas lojas associadas até 2013 e em 40% até 2015. Segundo a entidade, no ano passado, foram distribuídas 14 bilhões de unidades do material e espera-se, portanto, que em quatro anos, esse volume não passe de 8,4 bilhões de unidades.

O anúncio foi feito durante o Seminário “Sacolas Plásticas e o Consumidor: Desafios e Estratégias 2011/2015”, realizado no dia 15 de março, em São Paulo, quando foi lançado o Plano Abras de Ação Sustentável.

“Hoje, apesar das vendas serem muito maiores em relação a um passado recente, o uso de sacolas plásticas diminuiu em quase 22%, se comparados os índices de 2007 e 2010. Foram 17,9 bilhões de unidades em 2007, contra 14 bilhões em 2010”, afirmou Sussumu Honda, presidente da Abras.

Honda, destacou a importância da participação do consumidor para que a meta seja alcançada. “Ele é decisivo nesse processo, pois, nada pode ser feito se o consumidor não tiver a consciência dos objetivos que nos levam a procurar alternativas ao uso desse tipo de material”.

Mas o presidente se mostrou otimista em relação à postura do consumidor. Segundo ele, dados levantados pela Abras, “as questões ligadas à preservação do meio ambiente são a segunda maior preocupação de mais da metade dos brasileiros (53%) e que 18,6% dos consumidores já usam sacolas plásticas retornáveis”.

A busca de alternativas ao uso de sacolas plásticas implica na diminuição do uso do petróleo, do qual é feito o plástico, e a consequente redução da emissão de gases de efeito estufa, que causam o aquecimento global. Além disso, há também a redução do volume de lixo nos aterros – já que o plástico leva estimados 400 anos para se decompor – e ainda protegem a biodiversidade de rios, lagos e mares e o meio ambiente urbano, reduzindo as causas de enchentes. Porque, quando largado em terrenos, quintais ou via públicas, o plástico acaba poluindo as fontes de água ou entupindo bueiros e galerias pluviais, agravando esse transtorno das inundações que vemos nesta época do ano.

Vale lembrar que os brasileiros evitaram, em 2010, segundo o Ministério do Meio Ambiente, 5 bilhões de sacolinhas no comércio. Segundo estimativas da campanha Saco é um Saco, também do ministério com parceiros, os brasileiros usam 150 bilhões de saquinhos por ano.

Leia também:
– Brasil supera meta e evita o uso de 5 bilhões de sacolas plásticas em 2010
Maioria da população urbana apoia o fim das sacolas plásticas no Brasil
Rio de Janeiro aprova lei que põe fim às sacolas plásticas no comércio
Jundiaí tira de circulação 22 milhões de sacolinhas plásticas por mês

Se você quiser seguir o Akatu no twitter, clique aqui.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: