Copenhague já tem mais bicicletas do que carros rodando diariamente

Apenas entre 2015 e 2016 o número de ciclistas urbanos subiu mais de 15%

Copenhague, Dinamarca. Crédito: Creative commons/Tony Webster

 

Comentário Akatu: usar a bicicleta ao invés do automóvel contribui para evitar a emissão de gases de efeito estufa derivado da queima de combustível fóssil, deixando assim de contribuir para as mudanças climáticas. E a cidade de Copenhague, citada abaixo, é um belo exemplo disso, onde a população optou pela utilização de bikes como principal meio de transporte. Pedalar, além de fazer bem à saúde, não polui e nem emite gases de efeito estufa. Já o uso de carros, principalmente aqueles movidos a combustíveis fósseis, piora a poluição e, com isso, a saúde da população, especialmente nas grandes cidades. A queima de combustíveis fósseis estão entre os principais responsáveis pela poluição do ar e pelo aquecimento global. Além disso, os veículos individuais são fontes de poluição sonora e o seu uso em larga escala causa congestionamentos e, com isso, perda de tempo, boas razões para substituí-los pela bicicleta.

Copenhague é conhecida mundialmente como o paraíso dos ciclistas. Mesmo que a tendência mundial seja de que as ruas estejam cada vez mais cheias de carros, na cidade dinamarquesa a história é bem diferente. Em setembro deste ano, o monitoramento local de tráfego identificou mais bicicletas acessando a região central do que carros.

Conforme divulgado pelo site Copenhagenize, o uso de carros como meio de transporte diário tem caído gradativamente desde a década de 70, quando os monitoramentos começaram a ser feitos. Em contrapartida, a quantidade de pessoas que decidem fazer seus deslocamentos por bicicleta subiu exponencialmente, principalmente nos últimos anos.

O relatório de setembro deste ano registrou 265.700 bicicletas acessando o centro de Copenhague em um dia comum, enquanto 252.600 carros passaram pelos equipamentos de monitoramento. O uso da bike como principal meio de transporte é consequência dos investimentos em infraestrutura, facilidades e ciclovias, que somaram 134 milhões de euros nos últimos dez anos.

Apenas entre 2015 e 2016 o número de ciclistas urbanos subiu mais de 15%. Desde o último ano, 35 mil novas bicicletas foram contadas pelos sensores. O transporte público é a segunda forma de locomoção mais usada na cidade, sendo a escolha de 20% dos moradores locais e das cidades vizinhas, mas que vão diariamente a Copenhague.

De acordo com as autoridades locais, os automóveis individuais nunca, desde que os monitoramentos oficiais começaram a ser feitos, na década de 70, superaram os 30% na preferência dos habitantes.

 

Leia mais:

Santos tem 1º sistema de compartilhamento de bike para crianças da América Latina

São Paulo aprova lei que dará créditos a quem usar bicicleta como meio de transporte

Uso de bicicletas dobrou em 10 anos no Brasil

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: