Conta de luz volta a ter cobrança de taxa extra em novembro

A medida foi adotada por causa da redução das chuvas e a seca nos reservatórios de água

Lâmpada LED é mais econômica. Crédito: Creative commons/Kevin Doncaster

 

A conta de luz de novembro ficará mais alta. Será cobrada uma taxa extra, a chamada bandeira amarela tarifária. Isso significa que o usuário terá de pagar R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos. A informação foi divulgada pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

A justificativa para a aplicação da taxa é a cobertura do custo alto para gerar energia por meio das usinas termelétricas a carvão, que são acionadas quando a seca prejudica os reservatórios das hidrelétricas pelo país.

As bandeiras amarelas começaram a ser cobradas em janeiro de 2015. De abril até outubro, não houve cobrança de taxa, porque estava em vigor a bandeira verde.

As bandeiras dependem das chuvas
Já houve situações piores. Em 2013, com a grave seca nos reservatórios das hidrelétricas, o governo criou a bandeira vermelha, cobrança extra maior na conta de luz para bancar os caros custos da produção de energia pelas termelétricas. Neste ano, a situação melhorou um pouco: choveu mais e subiu o nível dos reservatórios. Além disso, o consumo das famílias e indústrias caiu, e novas usinas começaram a funcionar. Veja abaixo como a bandeira foi sendo alterada ao longo do tempo. Os dados foram divulgados no portal UOL:

– De janeiro de 2015 a janeiro deste ano, a bandeira era vermelha e a taxa extra era de R$ 4,50 para cada 100 kWh consumidos.

– Em fevereiro, passou para bandeira “rosa” e a taxa caiu para R$ 3 para cada 100 kWh.

– Em março, a bandeira mudou para amarela e a taxa caiu para R$ 1,50 a cada 100 kWh.

– Em abril, entrou em vigor a bandeira verde e a taxa extra deixou de ser cobrada.

– Em novembro, volta a valer a bandeira amarela, com taxa de R$ 1,50 a cada 100 kWh.

Consumo consciente é poupar energia em casa
É importante que os consumidores tenham cuidado para que o consumo de energia elétrica não aumente. Simples ações do cotidiano podem ajudar a reduzir a conta de luz no fim do mês e trazer economia. Veja aqui algumas dicas preciosas do Instituto Akatu:

– Ao sair de um ambiente, não se esqueça de apagar a luz.

– Prefira lâmpadas de LED, são mais caras, mas são mais eficientes e duram 25 vezes mais que uma lâmpada incandescente ou quatro vezes mais do que uma lâmpada eletrônica.

– Aproveite a luz natural do dia. Para clarear a casa, abra as janelas e aproveite a luz do dia o máximo que puder.

– Desligue o chuveiro quando se ensaboa ou lava os cabelos. Numa casa, os banhos com chuveiro elétrico são um dos maiores gastos com energia elétrica.

– Evite abrir a porta da geladeira à toa, pois o ar quente entra e o motor do equipamento é obrigado a gastar mais energia para resfriá-la novamente. Na hora de colocar ou retirar os alimentos, faça tudo de uma só vez. E não guarde alimentos e recipientes quentes na geladeira, pois isso aumenta o consumo de energia.

– Verifique se a borracha da porta da geladeira está em boas condições, pois ela isola o interior do refrigerador e evita maior consumo de eletricidade.

– Acumule o máximo de peças possível  para usar a máquina de lavar. Isso ajuda a economizar energia e água.

– Para passar o ferro, vale a mesma regra. Junte o máximo de peças para passar de uma só vez. Antes de ligar o ferro, separe as roupas por tipo de tecido – alguns exigem temperatura mais alta, outros exigem temperatura mais baixa.

– Ao comprar um eletrodoméstico, procure o selo Procel ou etiqueta do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que indicam os mais econômicos.

 

Leia mais:

Bandeira tarifária verde não significa que podemos desperdiçar energia elétrica

Mais energia renovável, menos gastos

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: