Conheça a versão atualizada do Sonho Americano

Liberdade, tempo livre e contato com a natureza estão no topo da lista de prioridades dos norte-americanos

 

O que é o “Sonho Americano” em 2014? O significado da expressão, cunhada em 1931 pelo escritor e historiador norte-americano James Trslow Adams, certamente mudou bastante. Hoje, quem diria, o Sonho Americano inclui anseios como “ter mais tempo livre” e “contato com a natureza”.

“Ter liberdade pessoal” foi o fator mais citado (78%) pelos respondentes da pesquisa para o Centro para um Novo Sonho Americano, realizada pela PolicyInteractive entre março e abril deste ano com 1.821 norte-americanos com mais de 18 anos de idade. Eles foram entrevistados sobre assuntos como economia, meio ambiente, publicidade e saúde, com as mesmas perguntas feitas para o estudo anterior, há 10 anos.

“Ter as necessidades básicas atendidas” ficou em segundo lugar na lista dos fatores mais importantes para se alcançar o Sonho Americano, citado por 75% dos entrevistados. “Explorar meus potenciais individuais” foi o terceiro fator mais citado, por 71% dos participantes do levantamento, e “ter tempo livre suficiente” foi considerado importante para 67% dos entrevistados. E para 54% dos respondentes do estudo, “estar em contato com a natureza” é muito importante para realizar o Sonho Americano hoje.

Alcançar o Sonho Americano parece mais difícil hoje para os norte-americanos do que há 10 anos. Na pesquisa deste ano, 79,8% disseram que considera difícil alcançá-lo. Em 2004, o percentual dos que achavam isso “difícil” era de 64%. Atualmente, as principais causas desse pessimismo são o alto custo da educação, citado por 72,2% dos entrevistados, e o alto custo da saúde (71,8%). “Nós temos uma cultura materialista” foi uma das razões citadas, por 58% dos entrevistados.

Em busca de qualidade de vida, nos últimos cinco anos, 38% dos norte-americanos tomaram providências voluntárias para reduzir o número de horas de trabalho, mesmo que o ganho de dinheiro diminua (Saiba mais sobre a redução do número de horas de trabalho pelos norte-americanos).

As conclusões do levantamento do Centro para um Novo Sonho Americano, que revelam anseios dos norte-americanos por mais bem-estar, estão alinhadas com os resultados das pesquisas do Instituto Akatu, realizadas no Brasil. Para os brasileiros, o conceito de felicidade está relacionado à preferência pelos caminhos mais sustentáveis, revelou a pesquisa Akatu 2012: Rumo à Sociedade do Bem-Estar.

Quando questionados sobre o que consideram ser felicidade, dois terços dos brasileiros entrevistados na pequisa do Akatu indicaram que estar saudável e/ou ter sua família saudável é um fator essencial. Para 60% do público que respondeu à pesquisa, conviver bem com a família e os amigos também os aproxima mais da felicidade. Apenas três em cada 10 brasileiros indicaram a tranquilidade financeira em suas respostas sobre “o que é felicidade para você?”. “Grande parte da sociedade brasileira já compartilha, mesmo que de forma difusa e pouco consciente, a noção de que, uma vez satisfeitas as necessidades básicas, a busca da felicidade implica em tomar o caminho da sustentabilidade e não o do consumismo”, afirma Helio Mattar, Diretor-presidente do Instituto Akatu.

Leia mais:

Mais de um terço dos norte-americanos reduziu a carga horária de trabalho por vontade própria

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: