82% dos paulistanos querem deixar o carro, mas dizem não ter opção

38% compraram carro nos últimos 12 meses; moradores gastam até 4 horas em deslocamentos diários

Se o transporte coletivo da cidade de São Paulo fosse rápido, de fácil acesso e  confortável, 82% dos moradores que usam carro para os deslocamentos diários abririam mão dele para usar o sistema público. Esse percentual já era alto no ano passado: 72%. Os dados são de uma pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência para a Rede Nossa São Paulo (RNSP), divulgada na quarta-feira (21/9).

De acordo com o levantamento, aumentou em 18 pontos percentuais (de 37% em 2010 para 55% em 2011) o número de moradores que classificam o trânsito da capital como “péssimo”.

O tempo médio de deslocamento gasto no trânsito diariamente é de 2h49min, ou seja, 42 dias por ano, quase um mês e meio preso no trânsito. Para alguns, a situação é ainda pior: 19% dos paulistanos chegam a perder até quatro horas nos deslocamentos diários – dois meses por ano.

O levantamento mostra também que aumentou de 15%, em 2007, para 23%, em 2011, os que afirmaram usar o automóvel quase todos os dias e, entre os entrevistados, 38% compraram carro nos últimos 12 meses.

No entanto, diante desse maior consumo do transporte individual, que contribui para o aumento do caos urbano, parece crescer entre os consumidores, a consciência de que a solução para uma mobilidade urbana sustentável está no transporte público: caiu de 21%, em 2010, para zero, neste ano, o percentual dos que disseram que nada os faria utilizar o ônibus. Ou seja, 100% dos paulistanos estão dispostos a usar o transporte público.

“Se a sensação é de falta opção. Falta agora o cidadão se mobilizar e mobilizar mais e mais pessoas para pressionar o poder público a oferecer essas opções que eles desejam e precisam para deixar os carros na garagem”, diz o diretor-presidente do Akatu, Helio Mattar.

“A situação está cada vez mais insustentável. Se você fizer a conta, o paulistano passa mais de um mês por ano parado no trânsito. Mas nós sabemos como melhorar. Tem que ter vontade política e competência para que as coisas aconteçam”, disse Oded Grajew, coordenador da RNSP.

Já quando questionados sobre as medidas mais eficazes para melhorar a situação da mobilidade na cidade, 60% dos paulistanos disseram que o mais importante é construir mais linhas de Metrô e trem; 36% apontaram a necessidade de melhorar a qualidade do transporte por ônibus e vans e 34% de construir mais corredores de ônibus ou ampliar os já existentes. Quase 30% dos entrevistados disseram que optariam pelo ônibus se houvesse mais corredores.

O uso da bicicleta também foi analisado pela pesquisa. Cerca de 40% dos entrevistados apontaram que optariam pela bicicleta se houvesse mais segurança: mais sinalização e mais ciclovias.

A pesquisa – realizada por conta do Dia Mundial sem Carro, que se comemora anualmente no dia 22 de setembro – ouviu 805 moradores de várias regiões da cidade com pelo menos 16 anos de idade entre os dias 17 e 22 de agosto. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Veja a pesquisa completa.

Baixe a Cartilha de Orientação para o Uso Consciente do Transporte produzida pelo Akatu, leia e distribua para os amigos e em suas redes sociais.

Leia também:
Mobilidade sustentável começa na calçada
Paulistano reprova todos os 26 itens que avaliam locomoção e urbanização
Internautas reclamam das calçadas no Dia Mundial sem Carro

Siga no twitter.
Curta no facebook.

 

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: