7º Congresso do GIFE discute investimento social privado hoje

Saiba por que o Congresso é relevante para o consumo consciente

Começou ontem, 28 de março, a programação oficial do 7º Congresso do GIFE em São Paulo, intitulado “Novas Fronteiras do Investimento Social”. O GIFE é uma “rede sem fins lucrativos que reúne organizações de origem empresarial, familiar, independente e comunitária, que investem em projetos com finalidade pública”, como está publicado em seu portal (www.gife.org.br).

O GIFE é considerado organização de referência na produção de conhecimento sobre o investimento social privado e na articulação entre investidores sociais, governos e organizações sociais no Brasil. O Congresso, que acontece bianualmente, é um momento que reúne todos estes atores para discutir necessidades e prioridades de investimento, regulação, equilíbrio entre o interesse dos investidores e o interesse público, entre outros temas.

Ele é importante para o consumidor consciente porque:

1. Ali se apresentam os focos de investimento de empresas e fundações empresariais para projetos sociais, culturais e ambientais. Pesquisas recentes mostram que consumidores, cada vez mais, esperam das empresas que sejam agentes de transformação da sociedade, ampliando seu foco para além de sua atividade-fim;

2. Ali se discutem modos de relação entre governos, setor privado e sociedade civil organizada. O que é papel do governo e o que pode ser assumido por outros setores da sociedade? Num momento em que a credibilidade das organizações não governamentais está abalada por diversos casos de corrupção divulgados no ano passado, como deve ser regulamentada a relação entre governos, empresas e as organizações foco de seu investimento social? O consumidor consciente pode estar atento a como se comportam as empresas de quem compra e demandar de seus governantes a legislação e a postura adequadas.

A seção de abertura, realizada ontem, mostra um pouco destas questões. Ela começou com Gilberto Carvalho, Ministro da Secretaria Geral da Presidência da República. Carvalho disse que o Governo Federal acredita na transparência e no estímulo à participação social e ao controle público como necessário para a melhoria do Governo. Relatou  ainda o andamento de um grupo de trabalho criado para discutir o marco regulatório do investimento social no Brasil, ou seja, a legislação vigente para o setor.

Depois, dois palestrantes internacionais, Cristopher Pinney (Aspen Institute) e Barry Knight (CENTRIS), e Fernando Rossetti (Secretário-Geral do GIFE), debateram o cenário internacional do investimento social no mundo e no Brasil, refletindo sobre as fontes de financiamento de organizações e projetos sociais.

Conferencista principal, o Ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso fechou o debate retomando a questão da relação entre as ONGs e o Governo. Sua fala foi na direção de reforçar o papel de controle e fiscalização do investidos sobre os resultados dos projetos que apoia. “As ONGs precisam entender que para fazer jus à legitimidade precisam mostrar que estão executando ao que se propõe”, disse.

Além da programação oficial, Institutos e Fundações Empresariais e ONGs puderam inscrever atividades em uma programação paralela, que começou na segunda-feira (26) e se encerrou ontem. A cobertura das atividades relevantes para o consumidor consciente você acompanha aqui, no portal do Akatu.

Siga no twitter.
Curta no facebook.
Adicione no orkut.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: