6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental abre inscrições para Competição Latino-Americana

Podem concorrer produções finalizadas a partir de 2015 e relacionadas a temas socioambientais, sem restrições de gênero ou duração.

Crédito da image: Divulgação/Ecofalante

 

Estão abertas, desde o dia 15 de novembro, as inscrições para a Competição Latino-Americana da 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental. São aceitas obras latino-americanas e caribenhas, finalizadas a partir de 2015, sem restrições quanto a gênero ou duração.

Os filmes devem tratar de temáticas socioambientais como: energia, água, mudanças climáticas, consumo, cidades, povos e lugares, ativismo ambiental, resíduos sólidos, contaminação ou poluição, políticas públicas, mobilidade, alimentação, economia verde, globalização, vida selvagem, desenvolvimento sustentável, entre outras. Os filmes podem ser inscritos até 15 de janeiro de 2017.

A Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é um evento anual que contribui para a difusão de importantes e premiadas obras cinematográficas raras ao público brasileiro. Através de filmes e debates, a Mostra amplia e enriquece discussões ambientais que envolvem a totalidade de nossa sociedade. A 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é gratuita e será realizada em São Paulo, Brasil, em Junho de 2017.

O regulamento, formulário de inscrição e outras informações estarão disponíveis no site da Mostra a partir do dia 15/11: www.ecofalante.org.br/mostra. Os filmes selecionados concorrerão nas categorias:

Melhor Longa-Metragem Pelo Júri (filmes a partir de 60 minutos), com prêmio de R$ 15.000,00
Melhor Curta-Metragem Pelo Júri (filmes de até 59 minutos), com prêmio de R$ 5.000,00
Melhor Filme Pelo Público

A critério do júri, poderão ser concedidas menções honrosas.

Foram premiados sete filmes na Competição Latina da 5ª Mostra Ecofalante, que aconteceu em julho de 2016, também na capital paulista. Pela escolha do júri venceram “Jaci: Sete Pecados de uma Obra Amazônica” (Brasil), de Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros, na categoria longa-metragem, e “Feito Torto pra Ficar Direito” (Brasil), de Bhig Villas Bôas, na categoria de curta. O júri concedeu também menções honrosas às produções “Dauna: O que o Rio Leva” (Venezuela), de Mario Crespo; “Ameaçados” (Brasil), de Julia Mariano; e “Sucata” (Uruguai), de Walter Tournier.

Pelo voto do público foram premiados o longa “Sunú” (México), de Teresa Camou, e o curta “O Homem do Saco” (Brasil), de Carol Wachockier, Felipe Kfouri e Rafael Halpern.

Desde sua primeira edição, a Competição Latina já premiou obras da Argentina, Brasil, México, Uruguai e Venezuela, e selecionou obras de Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai e Peru.

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: