2015 é o Ano Internacional dos Solos

O tema foi escolhido pela ONU para chamar atenção para a riqueza e a fragilidade do recurso, além de mobilizar a população para a importância de preservar e de recuperar os solos

Crédito: Creative commons/Joshua Endow

 

Comentário Akatu: Todos nós dependemos da exploração dos recursos naturais. Sem controlar a maneira de utilizar esses recursos, como o solo, não haverá a renovação sustentável dos mesmos, impactando negativamente nos meios de subsistência das pessoas, na dinâmica das economias que tiram seu sustento dos ecossistemas e até mesmo na segurança alimentar e nutricional de todo o planeta. É importante também que o consumidor, ao comprar um produto tenha o conhecimento de que sua escolha de consumo, mesmo individualmente ou em pequenos grupos, provoca impactos significativos não só no meio ambiente, mas também nos indivíduos, na sociedade e na economia. Use seu consumo como instrumento transformador da realidade em uma direção crescentemente sustentável.

 

Eleito como tema do ano de 2015 pela Organização das Nações Unidas (ONU), o solo é um dos materiais biológicos mais complexos do planeta. Leva mais de mil anos para formar dois centímetros de solo superficial, e apenas um punhado dele pode conter bilhões de micro-organismos.

A nomeação de 2015 como Ano Internacional dos Solos é uma tentativa da ONU de chamar atenção para a riqueza e a fragilidade do recurso, além de mobilizar a população para a importância de preservar e de recuperar os solos, devido ao desmatamento ou ao uso agrícola inadequado.

Os índices de degradação e contaminação do solo são alarmantes: 33% das terras do planeta estão degradadas, por razões físicas, químicas ou biológicas, estima a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Sem o solo, ficaríamos sem ter o que comer e perderíamos um dos serviços ecossistêmicos vitais que sustentam nosso bem-estar econômico, social e ambiental.

A agenda de debate do tema é para o ano todo. Ao mesmo tempo em que negociadores climáticos estarão reunidos em dezembro deste ano, em Paris, para a Conferência das Partes sobre Mudanças Climáticas (COP21) cientistas de todo o mundo também se reunirão, em Dijon, na França, para a primeira Conferência Global sobre Biodiversidade dos Solos. Logo em seguida, será lançado o primeiro Relatório Estado dos Recursos do Solo Mundiais.

Para registrar tudo a respeito dessa celebração, a FAO lançou site em seis idiomas (árabe, espanhol, francês, inglês, japonês e russo). E listou seis fatos sobre solos saudáveis:
– são a fundação para a vegetação, que é cultivada ou manejada para alimentação, fibra, combustível e produtos medicinais;
– são a base da produção de comida;
– sustentam a biodiversidade do planeta e eles abrigam um quarto do total;
– ajudam a combater e a adaptar às mudanças climáticas ao ter papel fundamental no ciclo de carbono;
– armazenam e filtram água, melhorando nossa resiliência a enchentes e secas;
– é um recurso não renovável, o que torna sua preservação essencial para a segurança alimentar e para nosso futuro sustentável.

Para dar força à causa, o dia 5 de dezembro também foi instituído Dia Mundial do Solo, e foi celebrado pela primeira vez em 2014. Assista ao vídeo feito pela ONU para comemorar a data. Veja em apenas um minuto porque é tão importante preservar o recurso.

 

Leia mais:

Embrapa lança mapa digital dos solos brasileiros

Mitos e verdades sobre os alimentos orgânicos

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: