Organize o seu guarda-roupas e aproveite melhor as peças e os acessórios

Organizar as suas roupas permite que você use melhor aquilo que tem disponível, confira as nossas dicas.

Crédito da foto: Getty Images

Mais do que simplesmente nos proteger, as roupas permitem que nós nos expressemos – isso é divertido e não há nada de errado nisso. O problema pode estar na quantidade de roupas que temos. A produção, uso e descarte de todas as roupas têm impactos no meio ambiente, pois a produção têxtil requer toneladas de água, geralmente utiliza tratamentos químicos nocivos ao meio ambiente, e faz uso de muita energia. Além disso, o excesso de roupas exigirá mais armários – que também tem impactos no meio ambiente decorrentes de sua produção – ou exigirá o descarte de roupas sem uso, que certamente implicará em transporte das mesmas, com impactos de emissão de gases de efeito estufa.

É possível estar satisfeito com a quantidade de peças que temos sem transbordar as gavetas. Para isso, é preciso ter cuidados não só antes da compra, mas também depois que a peça chegou em casa.

Organizar o guarda-roupas, especialmente nas mudanças de estação, ajuda a fazer um bom uso das peças e acessórios que temos disponíveis, pois ficarão mais visíveis e fáceis de visualizar. Veja as dicas para deixar tudo à mão:

– Mantenha no armário só o que ele pode comportar. Se as peças ficam entulhadas, elas ficam “escondidas” e acabam por não ser usadas. Analise as peças com frequência, selecionando aquelas que você não quer mais – troque, doe ou venda!

– Nas mudanças de estação, reorganize o armário. Procure selecionar as roupas que você vai usar mais e deixá-las mais acessíveis.

– Para peças menores, como meias e roupas íntimas, e acessórios em geral (cintos, relógios, joias), um bom recurso são os chamados organizadores de gaveta, que oferecem diferentes compartimentos e evitam “sumiços” e danificações antes do tempo. Com isso, você pode evitar problemas como perder apenas pé de meia ou estragar um sutiã que ficou deformado na gaveta. É importante que esses organizadores tenham “respiros” que deixem o ar entrar, para evitar a formação de mofo.

– No caso dos jeans do dia a dia, é possível guardá-los dobrados em prateleiras, o que facilita a visualização, ou em cabides individuais, onde eles também ficam mais fáceis de serem identificados. O importante é que fique fácil de serem escolhidos.

– Para as roupas de uso menos frequente, evite guarda-las em capas de plásticos, como aquelas usadas em lavanderias. O material retém calor, favorecendo o surgimento de mofo. O ideal são os modelos feitos de tecidos respiráveis, como o TNT ou o algodão cru. Mas use uma capa que facilite a visualização da peça.

– Malhas e tricôs, que geralmente usados apenas em alguns meses do ano, não devem ser pendurados, pois as peças esticam. Prefira dobrá-los e também mantê-los em prateleiras. Em último caso, apele para as gavetas, mas cuidado para não enchê-las até borda, evitando que o ato de abrir e fechar danifique as peças.

– Sapatos podem ser mantidos em caixas, mas é preciso que haja furos nelas para o ar circular. Caso contrário, irão mofar.

– Bolsas ficam mais visíveis se colocadas em prateleiras ou em gavetas. Evite guardá-las de forma que fiquem esquecidas no fundo do armário. Procure deixá-las em uma posição que não se deformem, protegidas por plástico-bolha ou papel de seda.

– Procure pendurar as camisas e ternos em cabides individuais. Se quiser proteger com uma capa, que seja de um tecido que permita a circulação de ar.

– Separe as roupas e sapatos que você não quer mais usar e destine para doação. Procure instituições de caridade na sua cidade ou igrejas, que geralmente costumam recolher doações.

– Se a peça for de marca ou quase nova e em boas condições de uso, você pode tentar vende-la em um brechó ou pela internet.
– Você também pode organizar um bazar com as suas amigas. Além de participar de um evento muito divertido, as suas roupas vão ganhar vida nova junto às pessoas que você tanto gosta.

– A customização das roupas do seu guarda-roupa também é uma alternativa para transformar uma peça que você deseja renovar ou que não tem mais a sua cara. Assim você consegue transformar roupas e acessórios que estavam em desuso em peças com a sua personalidade. Então, solte a criatividade que existe dentro de você!

Fonte: Ingrid Lisboa, organizadora pessoal

Gostou da notícia? Compartilhe!
Ajude a disseminar o Consumo Consciente entre os seus amigos.
Compartilhe:
Leia mais: