Resíduos

Como será a vida sem sacolinhas plásticas descartáveis?

Seguidores do Akatu no Twitter e no Facebook enviam suas dúvidas e o Akatu dá as alternativas

Agora é lei: a partir de zero hora de 1º de janeiro próximo, as sacolinhas plásticas estarão banidas do comércio da cidade de São Paulo, não podendo ser distribuídas gratuitamente e até mesmo vendidas. O que fazer sem a sacolinha no dia-a-dia?

 

Como carregar as compras?

Muitos consumidores já dispensam as sacolinhas plásticas e transportam suas compras em sacolas retornáveis de algodão, lona ou mesmo de plástico resistente, como as sacolas de feiras e as sacolas de PET reciclado. Outra solução é usar caixas de papelão, que são oferecidas gratuitamente pelos supermercados, e carrinhos de compra, aqueles usados em feiras livres.


Os chamados saquinhos plásticos orgânicos (feitos de cana ou milho) ou os chamados biodegradáveis, oxidegradáveis, oxibiodegradáveis e variações também estão proibidos?

Sim. Nenhum tipo de saquinho plástico pode ser vendido ou distribuído para carregar as compras no comércio.


Como recolher o lixo em casa? Dos banheiro,  da cozinha?...

Forrar os diversos cestinhos de lixo com dobradura de jornal é uma saída. Veja como fazer a dobradura. O consumidor deve manter um único cesto grande de lixo, com os tradicionais sacos pretos – preferencialmente feitos de plástico reciclado – e juntar todos os “saquinhos de jornal” nesse saco maior para retirar para a coleta. As lojas de material plástico continuam a vender os saquinhos, o consumidor também pode comprá-los nessas lojas especializadas. A vantagem é que comprando o consumidor vai usar com muito mais consciência e economia do que quando ganhava no supermercado, na livraria, na padaria, na videolocadora...


Mas o jornal também polui a natureza e faz volume no aterro sanitário.

Nenhum resíduo deve ser descartado direto na natureza. Nem plástico nem jornal nem PET, nada! Todos devem ser recolhidos em casa e postos fora para a coleta, no máximo duas horas antes de o caminhão coletor de lixo passar. Não esquecer também de separar os resíduos chamados de secos ou limpos (vidro, PET, plástico, jornal, papel, latinhas) para a coleta seletiva. Sobre o uso de jornal como saquinho de lixo: a principal diferença é que o jornal leva até seis meses para se decompor, já as sacolas plásticas comuns levam até 400 anos, segundo as empresas de limpeza urbana de São Paulo e do Rio. Além disso, quando descartadas de forma incorreta, as sacolas plásticas degradam a biodiversidade de rios, lagos e mares. Mais: os fragmentos de plástico atraem poluição dispersa na água. Já foram recolhidos no Oceano Pacífico, por exemplo, grânulos de plástico que continham uma concentração 1 milhão de vezes maior de poluentes e resíduos tóxicos do que a água do entorno. No meio urbano, os sacos plásticos entopem bueiros e galerias pluviais e contribuem para enchentes e inundações. Além disso, o plástico é fabricado a partir do petróleo; a redução do uso desse material contribui para a diminuição da emissão de gases de efeito estufa, que causam aquecimento global.


E o saco grande para lixo, fica proibido também?

Não. A venda de sacos de lixo ou de sacos plásticos nas lojas de material plástico está liberada. Ficam proibidas a distribuição e a venda de sacolinhas para embalar as compras no próprio empreendimento. Ou seja, o supermercado, a padaria e todo o varejo estão proibidos de distribuir ou vender as sacolinhas da saída do caixa, como acontece hoje.


E os saquinhos transparentes para frutas e verduras soltas na feira, no “sacolão” ou mesmo no setor de hortifrúti dos supermercados?

Estão liberados. Frutas e verduras a granel podem ser embaladas nos saquinhos específicos. Também estão liberados os saquinhos originais dos produtos, como pacotes de balas, bolachas, feijão, arroz, açúcar etc. Também não foram proibidos os sacos plásticos para produtos que vertem líquido, como frango, carnes, frios, congelados em geral... O princípio da lei é evitar o uso de uma segunda embalagem de plástico para o mesmo produto ao passar no caixa. A ideia é acabar com o saquinho dentro do saquinho.


E se eu quiser levar as sacolinhas da minha casa para o mercado? Eu serei multado?

Não. O consumidor terá a opção de trazer a sacola que quiser de casa e não será multado. A restrição é para o comércio em geral. Mas a dica do Akatu é não usar sacolinhas descartáveis. Mantenha sacolas reutilizáveis, carregue sempre uma dobrada na bolsa ou na mochila. Você estará sempre prevenida ou prevenido no mercado, na padaria, na papelaria, na farmácia...
 

Em alguns condomínios, jogar lixo diretamente no saco preto do andar é considerado infração grave, por gerar mau odor e atrair insetos. Como fazer?

A lei municipal é superior às normas dos condomínios. Portanto, as regras dos condomínios terão de se adaptar à nova lei. Os moradores devem se reunir e discutir alternativas. Já será um bom momento para pensar mais medidas de consumo consciente também de água, energia e outros recursos no condomínio e nos apartamentos ou casas.

 
Como recolher o cocô do cachorro na calçada, já que, até agora, as sacolinhas plásticas eram usadas para este fim.

Em pazinhas de plástico duro e depois despejar no saco preto de lixo orgânico em casa.  Ou recolher os dejetos em saquinhos de papel ou feitos de dobraduras de papel. Outra saída é usar luvinhas plásticas descartáveis; você recolhe o cocô, vira do lado contrário e já a utiliza como um saquinho.

 

Se você tiver outras dúvidas, deixe a sua mensagem no comentário abaixo ou pergunte para o Akatu no twitter ou no facebook.

 

Comentários

VIVIANE ABRILE ALVES DOS SANTOS
08 mai 2012
2 0
Ultimamente quando vou ao supermercado eles não estão mais distribuindo sacolinhas pláticas certo? Isso agora é lei certo? Porém estão vendendo da mesma sacolinha plátisca por 07 centavos isso não é um abuso? Gostaria de saber como devo agir? E onde devo reclamar sobre o ocorrido?
Responder Reportar Abuso
César Rios
01 fev 2012
54 0
Município não tem poder para legislar sobre este tipo de embalagens. Acordo de cobra e escopiao para ver quem dar mais prejuizo para o consumidor. Tem lobista ganhando nas costas do consumidor. Mais fácil roubar do consumidor vendendo para ele uma sacola que custa 10,00. Esta solução é para o nosso planeta ou para o planeta de grandes industriais juntamente com politicos gananciosos e seus lobistas? Assim como encontraram solução para as garrafas petes e para o pneus, encontraremos uma solução sem roubos para as sacolas de plásticos. Vibrei com a liminar. Carregue pão no jornal, é mais higiênico e não gasta sacolas. Aproveita e não toma banhos como os franceses, assim não gasta água nem energia.
Responder Reportar Abuso
werner bazilio
14 set 2011
4 5
Antes mesmo da nova lei ser implantada, já estamos praticando o Consumo Consciente de sacolas plásticas em nossa residencia, onde utilizamos sacola plástica apenas no banheiro, e depois depositamos o lixo em um único saco de ração animal e compactamos o lixo. O lixo organico é transformado em adubo para doação as comunidades carentes, e todo lixo reciclável é encaminhado para doação a Cooperativa Vitória da Penha-fone: 2541-9298-contato: Sr. Massao, e ainda fazemos coleta de material reciclável limpo e seco toda terça feira em toda Zona Leste, e encaminhamos o material reciclável para Cooperativas de reciclagem.
Responder Reportar Abuso
nete
11 set 2011
106 10
Uma pergunta.... Nas comoras no mercado como trarei as minhas compras?? serei OBRIGADA a compras as outras sacolinhas ???
Responder Reportar Abuso
Olavo Bortoluci
03 ago 2011
12 6
Infelizmente em nosso país para que possamos evoluir e pensarmos no amanha, se faz necessário que tudo vire lei, caso contrario nao tomamos a iniciativa mesmo sabendo que seria para o bem comum. Espero que esta iniciativa ou lei seja respeitada pois como sabemos no Brasil sao poucas as leis que fincionam e sao respeitadas.
Responder Reportar Abuso
leandro
03 ago 2011
1 4
Eu concordo com a proibição das sacolinhas plasticas pois elas são um problema para o planeta, mais não são só as sacolinhas que poluem tem outras coisas que poluem também o planeta esta sendo degradado se n´s não parar-mos agora enquanto é tempo toda a população do mundo irão ficar sem os recursos naturais do planeta vamos cuidar do planeta
Responder Reportar Abuso
Ana lucia morais carvalho
01 ago 2011
65 80
olha eu acho assim que vai ficar orivel sem sacola como que nos vamos fazer compra e vai levar as coisas no que,nao é todo mundo que tem carro...para levar suas compras...
Responder Reportar Abuso
Eliana
01 ago 2011
17 46
Até que enfim estamos nos conscientizando que tudo em excesso faz mal. Sou aluna do Cieja e estou estudando o tema. Acho importante ver muita gente preocupada com o meio ambiente, em perder tudo que nos foi dado de bom grado por Deus e tudo que estragamos como o nosso egoísmo. Nos acostumamos sim em levar nossas sacolinhas para o supermercado assim como nossos avós faziam, vamos fazer nossa parte desde já, não precisamos esperar até 2012 comecemos agora e fazemos a diferença. O que vivemos hoje servirá com exemplo para as gerações futuras, que eles não cometam os mesmos erros que nós. Mais importante que manter o que ainda temos é recuperar o que já perdemos, a natureza é sabia e vai nos ajudar nesta luta desde cada um faça a sua parte.
Responder Reportar Abuso
Juliane Cristine de Souza
27 jul 2011
4 4
Concordo com esta lei, mas gostaria de saber porque as embalagens de produtos, que muitas vezes são duplas como exemplo a maioria das bolachas, não são proibidas também. A não ser que seja preciso para a conservação, então pelo contrário deveria ser proibido....
Responder Reportar Abuso
Einstein do Nascimento Júnior
25 mai 2011
37 39
Acho um pouco hipocrisia condenar a sacola plástica, visto q os lixos vão continuar com sacos plásticos. Sinto q o pricinpal problema é a quantidade de lixo e a não reciclagem/reutilização deles. Sacos de plasticos biodegradáveis ou de papel são mais bem-vindos, obviamente. Mas proibição, eu já discordo...
Responder Reportar Abuso
Michèle Rosier
24 mai 2011
3 4
Otima reportagem! Moro na Suíça há dois anos e já tenho experiência com os métodos alternativos pra economizar no plástico. Considero a iniciativa em SP muito positiva! Uma outra dica que algumas companhias poderiam investir (essas de sacola plástica, já que terão menos mercado...) são nos carrinhos de compra. Os consumidores podem levá-los ao mercado, à feira, enfim, onde quiser... E é muito mais prático pois tem rodinhas e assim o peso nas mãos e nas costas pra carregar compra diminui! E olha que faz uma diferença... vejam aqui um exemplo destes carrinhos que são muito usados por aqui: http://www.lazonecadeaux.com/la-cuisine/208-caddie-a-course.html Mais um parabéns pela iniciativa da reportagem!
Responder Reportar Abuso
Anna Monteiro
20 mai 2011
10 11
Ótimas soluções!!!!! Adorei todas! Mas venho relembrar aqui,que as instituições que até então usam sacolas plásticas,poderiam aderir àquele saco de papel que existia na década de 80. Lembro que o Carrefour do Rio de Janeiro usava,era ótimo. Vou repassar o link pra várias pessoas! Obrigada!
Responder Reportar Abuso
Míriam Motta
23 mai 2011
3 16
Pelo que sei, produzir sacos de papel para embalagem impacta ainda mais que as sacolas plásticas. Além de ser muito mais cara a produção. O melhor é voltarmos para as sacolas de compras, também usadas a cerca de 30 anos, e termos sempre uma de material leve dentro da bolsa/pasta no dia a dia para as aquisições menores e quando for a feira ou supermercado, usar sacolas maiores, de material durável. Tendo o cuidado extra de mantê-las sempre limpas para carregar alimentos. Teremos mais despesa no início e algum trabalho a mais, que com certeza valem o resultado. Quanto ao lixo úmido, tem a opção das composteiras domésticas, que fazem a casca de abóbora, de batata, de ovo, virarem excelente adubo orgânico. Ou sacos de lixo plástico biodegradável, se você não tiver mesmo condições de fazer a compostagem no quintal ou na área de serviço. Não esquecendo da coleta seletiva ou das cooperativas de catadores de material reciclável e do reaproveitamento, sempre!
Responder Reportar Abuso
Juassiara Candida Rodrigues Pereira
24 mai 2011
2 5
Todas alternativas, idéias postadas são ótimas e tenho procurado colocá-las em prática. Ainda não dei início a compostagem. Diante deste exercício que tenho feito deparei-me, até o momento, com duas dificuldades: falta da Coleta Seletiva no munícipio que moro. Creio que isto seria um fator facilitador para todos munícipios. Outro detalhe é que, por falta de tempo, organização, fazemos compras grandes em supermercados após trabalho ou outras saídas em que não a tínhamos planejado e aí, que a sacolinha que temos dentro da bolsa não dá conta. Diante disto sugiro que os munípios tratassem da Coleta Seletiva e os Supermercados poderiam apresentar sacolas dos tipos maiores, de material durável que fossem colocadas a disposição dos usuários como retornável, Pagando uma taxa teríamos a bolsa para levar para casa e receberíamos um bônus, algo deste tipo ao devolvê-la. Quem sabe alguém não pensa, elabora esta idéia que iria facilitar a vida doméstica.
Responder Reportar Abuso
Fechar

Esqueci minha senha

Digite seu e-mail e clique em "Procurar" para recuperar sua senha.
Sua senha foi enviada para o e-mail informado.
Não encontramos seu e-mail em nossos registros. Se você não tem uma conta Akatu, cadastre-se aqui.
Ocoreu um erro inesperado. Por favor, tente mais tarde.
enviando...