Dinheiro e Crédito

Aprenda e faça um orçamento familiar

Um bom controle do das entradas e saídas de dinheiro é fundamental para que as metas de curto, médio e longo prazo possam ser alcançadas

Para montar um orçamento é preciso listar separadamente todas as receitas e todas as despesas previstas para um determinado período.

Após fazer esta listagem, deve-se totalizar as receitas e as despesas. Idealmente, as receitas devem superar as despesas e a diferença deve ser destinada aos investimentos sejam de natureza financeira, sejam para a compra de bens imóveis, seja ainda para o pagamento de dívidas.

Caso existam dívidas, estas devem ser examinadas cuidadosamente, avaliando seus custos (juros, taxas) e riscos, em caso de atrasos ou dificuldades de pagamento. Dívidas com juros altos devem ser renegociadas para redução nas taxas, ou substituídas por outras, em prazos e custos mais favoráveis. Salvo em casos excepcionais (dívidas de longo prazo, com juros baixos ou condições especiais) em geral o ideal é liquidar suas dívidas o quanto antes, pois implicam em custos de juros, além de frequentemente gerarem incertezas na gestão financeira ou crédito.

Como regra, uma dívida só vale a pena em situações de emergência, ou se o investimento dos recursos obtidos gerar – com grande certeza - ganhos maiores do que os custos com juros, taxas e garantias.

Caso isso não ocorra, a família deve se reunir para verificar quais gastos podem ser eliminados ou reduzidos de forma a, no mínimo, balancear as despesas com as receitas previstas.

O orçamento de receitas e despesas deve considerar também os gastos sazonais, como os que ocorrem na volta às aulas, o pagamento do IPVA do automóvel no início do ano, o pagamento de seguros, os gastos em datas comemorativas, as despesas com as férias da família. Esses gastos podem representar uma parcela substancial do orçamento, daí a importância de serem considerados cuidadosamente ao se fazer o orçamento.

É fundamental incluir no orçamento, também, uma reserva para imprevistos como gastos extras com a saúde ou com o conserto de carro.

Não há uma fórmula fixa para o orçamento familiar. Cada família tem as suas prioridades, suas metas de curto, médio e longo prazo. Somente a partir da reflexão, auto-observação e acompanhamento é possível fazer um orçamento que pode ser cumprido, resultando em ganhos que superem as várias despesas, com reservas para poupança e para imprevistos.

Se você quiser seguir o Akatu no Twitter, clique aqui.

 

Comentários

João
22 mar 2011
17 2
Bem legal a matéria, preciso colocar isso em prática lá em casa (o quanto antes).
Responder Reportar Abuso
João
22 mar 2011
3 2
Aliás gostei muito do site, parabéns!
Responder Reportar Abuso
Fechar

Esqueci minha senha

Digite seu e-mail e clique em "Procurar" para recuperar sua senha.
Sua senha foi enviada para o e-mail informado.
Não encontramos seu e-mail em nossos registros. Se você não tem uma conta Akatu, cadastre-se aqui.
Ocoreu um erro inesperado. Por favor, tente mais tarde.
enviando...